segunda-feira, 20 de junho de 2011

Devocional 9 - Jesus, o princípio de todas as coisas



"Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro." 1 João 4:19

João era o discípulo que mais deu ênfase ao amor de Deus. Lembramos o tempo inteiro seus ensinamentos sobre o amor de Deus e por isso usamos todos os argumentos possíveis dentro do contexto para frisar a importância do amor. Mas o interessante é que ele recorre para ensinar sobre o amor, o princípio de que Jesus fez primeiro.

A inevitável pergunta no texto é: O que é principio? Princípio é o inicio das coisas. O começo. Porém, o sentido de princípio é mais elevado do que nossa compreensão. A bíblia diz João 1:1-4 "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava à vida, e a vida era a luz dos homens.

Jesus é a expressão máxima do princípio de todas as coisas. Ele é o início de tudo. E isto implica em outras coisas que vão além da nossa percepção, por isso precisam ser reveladas por Deus. Acrescento a doutrina da impecabilidade de Cristo. A mesma somada com a ideia do princípio e da divindade torna uma referência importante sobre tudo. Como homem, após pecado, Ele foi o primogênito. O primeiro de muitos filhos e estando em "forma de servo" não pecou, validando assim o exemplo de ser a referencia. Como Deus, tudo que Ele faz é certo porque Ele é Deus.


Apesar da passagem se referir ao início das coisas, eu proponho o significado de princípios que são leis espirituais juntamente com o sentido da palavra que traz a ideia de começo. Na verdade ante as duas passagens, Cristo se torna o começo e a próprio início da representação das leis espirituais como princípio. Através de todas as concepções que pertencem a Ele por direito, como o significado de santo que se refere às ações puras e justas de Deus. Deus faz o que é certo e nunca faz o errado. Deus sempre age de maneira certa porque sua natureza é santa e o certo é Sua maneira de agir. Cristo é a representação disso. É como se Deus quisesse explicar o que Ele quer através do Verbo encarnado. No comentário Bíblico do NT de Mattew Henry, diz: “A razão mais simples do por quê se chama Verbo ao Filho de Deus parece ser que como nossas palavras explicam nossas idéias aos outros, assim foi enviado o Filho de Deus para revelar o pensamento de Seu Pai ao mundo.

Particularmente, acredito que princípios cristãos são padrões bíblicos eternos. Porém defini-lo assim, como paradigmas, não seria suficiente. Entretanto, a intenção é dizer que Cristo, independente do tempo é a representação do padrão a ser seguido. Ele opera por meio de suas leis que nada mais é do seu próprio caráter revelado aos homens. Por isso, eu creio que princípios são as leis de todas as coisas, as leis que servem ao coração, as leis que propõe a consciência certa e que tem resultado em todas as extensões espirituais e físicas. Ou seja, o caráter Dele, a Sua mente através do Seu Espírito é o que devemos buscar para sermos certos em todas as esferas que responde a existência humana. Deus revela sua lei moral à nossa consciência e nas Escrituras. (João 14:26)

Antes de existir os conceitos, Ele já era e é Deus. Antes existir ou definir o certo a nossa ótica, Ele já o era por ser o Verbo que estava com Deus, por ser o Verbo que era Deus e por todo significado de Deus. E não por menos, o verbo é ativo, o verbo é o elemento principal de todas as ações. 


Devemos entender a respeito de tudo que vem de Deus, e isto se aplica ao princípio, o entendimento de que os pensamentos de Deus são mais altos que os nossos. O seu caminho, a verdade e vida estão divinamente elevadas a uma condição não alcançável sem a redenção. Eu creio que Jesus é a forma de elevar o pecador corrupto ao alto padrão de Deus. Assim como sua sabedoria, sua aplicação moral e tudo que vem Dele tem o poder e o mérito de ser o princípio. E a forma humana do princípio de todas as coisas foi Jesus e não há outro meio para se alcançar a existência ser não for Nele. (Atos 17:28). Somos geração de Deus, e só existimos, vivemos e movemos se estivermos Nele.

A Integridade de Deus é a fonte que sustenta a moralidade, a inocência, a pureza, a incorruptibilidade e a justiça. Ainda que tenha esquecido outros valores que compõe a integridade, quero lembrá-los que todos citados são para trazer a ideia de plenitude, a ideia de perfeição. Então, não apenas porque Ele fez primeiro, ou porque Ele é o início de todas as coisas, mas porque o atributo do seu caráter o faz certo na essência.  Em todo regimento da vida humana, Ele é o princípio.