sábado, 31 de dezembro de 2011

Votos para 2012 - A Cura Plena


Num balanço de fim de ano percebo que muitas pessoas estão cansadas pela sobrecarga de trabalhos, pelos desafios constantes e o estresse conseqüente do super ativismo que a vida se tornou. E ainda que tentemos evitar, esta é uma realidade da vida. Por causa desta realidade para alguns é quase impossível reservar algum tempo em solitude para devocional. Entretanto, devo frisar que é "quase". Ou seja, sempre há tempo para nos reservar e criar intimidade com Deus, até porque isto é essencial para nossa existência. Isto está acima da prioridade. Listando prioridades, ouvir a Deus está acima de todas elas. A voz de Deus é direção para nós. Dependemos Dele para viver. "Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;" Mateus 5:3

Eu não posso deixar de notar que a vida se tornou algo difícil de lidar e conviver. O verdadeiro cristão fica sempre com a sensação de que está sendo enviado como ovelha em meio a lobos. De ser peregrino e forasteiro em um mundo que jaz no maligno. E por estas razões, devemos sempre acatar a orientação bíblica que pede para nos abster da comunhão com mundo. Entre as muitas passagens, existe Salmo 1:1 "Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores." Este é um texto clássico, que adverte que mais que feliz é o homem que não tem comunhão com este mundo.



Apesar da Bíblia instruir para não termos comunhão com o mundo, ela não instrui para deixarmos de conviver. Pelo contrário, a Bíblia diz assim em Lucas 10:3 Ide; "Eis que vos mando como cordeiros ao meio de lobos." Em outras palavras, comungar da mesma essencia não, mas sim influenciarmos.

Outro detalhe é que na Palavra de Deus sempre veremos a instrução para ficarmos em alerta, a instrução de orar sem cessar ou mesmo de orar e vigiar. Existe um texto muito conhecido em I Cor 10:12 "Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia." O sentido de alerta e vigilância é o tempo inteiro.

Além destes desafios da vida em si, existem outros fatores que nos desafiam como o relacionamento. Dependendo do tipo de relacionamento que se tem, as partes envolvidas nas relações ficam muito desgastadas. Mas quero atentar para uma pequena parte de Gênesis 2:18 "Não é bom que o homem viva só" Note algumas coisas:
  1. É encontrado o primeiro problema na Bíblia.
  2. É uma negativa do mesmo valor a tudo que era bom até então.
  3. E para solucionar Deus estabelece assim o relacionamento. Isso é tremendo. Tremendo porque relacionamento saudável faz você crescer, ser sarado e principalmente amado.
  4. Entretanto, com a queda humana através do pecado, não há como medir as conseqüências disto nos relacionamentos. Eu sei que os distúrbios causados pelo desnível dos relacionamentos chegam a assustar.

Ok. Agora, qual a reflexão que devemos fazer?A primeira parte da reflexão que faço é que aquilo que deveria ser uma solução virou um problema. Virou problema por causa de tudo que falei, mas principalmente porque nos falta a Vida de Deus dentro de nós. O pecado se opõe a Vida de Deus em nós. 


Neste ponto pense comigo. Quem é a vida de Deus dentro de nós? O Espírito Santo. O que a Bíblia sugere é que a Vida de Deus, ou seja, o Espírito Santo, só é alcançada buscando a sua presença, a medida que nos reservamos em intimidade. Reservar é o mesmo que se separar. Isto é santidade, e por isso santidade se opõe ao pecado. 

Para pensarmos na importância da santidade, eu costumo sugerir um pouco de quem é Deus, e apesar de nossa visão ser embaçada em relação ao Criador, olhar para suas qualidades nos ajuda a traçar um perfil. Eu costumo dizer que todos os atributos de Deus ajudam igualmente a descrever quem Ele é, e apesar do Amor e Graça serem os atributos que nos beneficiam da maneira mais direta e visível, a santidade de Deus é o que mais deveríamos nos atentar para compreender o tamanho do seu Amor e da sua Graça. Afinal, não vemos os anjos repetindo outro atributo senão Santo, Santo, Santo... Santidade traduz com exatidão o tamanho do sacrifício Dele ao enviar seu Filho, pois a Bíblia relata que aquele que não conheceu pecado, se fez pecado por nós. (2 Cor 5:21)

Voltando ao contexto, quero dizer em relação aos relacionamentos que na maioria das vezes temos que lidar com melindres para que os outros não nos interpretem mal, seja em conversas simples e ou mesmo em atitudes. Nem todos esforçam para entender contextos, seu histórico, as minúcias do relacionamento na aplicação da vida. Ninguém considera os problemas do outro como ninguém também quer considerar os nossos problemas. Sobra egoísmo, indisposição e impaciência. Em outras palavras, os problemas na alma nos atrapalham nos relacionamentos.

Em relação a mim, eu tenho a impressão de que estou sendo vigiado o tempo inteiro e qualquer palavra ou ato "pode ser usado contra mim no tribunal". Sinto que sou avaliado e julgado o tempo inteiro. Confesso que também já cometi esta tolice de julgar parcialmente. Somos tolos. Ainda bem que Deus é justo juiz e Ele mesmo consideram nossa justiça como trapo de imundícia.

Vejo o tempo inteiro às pessoas querendo cobrar o amor das outras, mas não estão nem um pouco dispostas a entender que o amor é fruto do Espírito. E se é fruto significa que precisa plantar e cuidar. Mas, ninguém quer plantar este amor. Ninguém quer aceitar que amar é um investimento de vida espiritual e que só alcançamos o amar na maneira de Deus, apenas na força de Jesus. E para isto acontecer teremos sempre o trabalho de arar a terra, de plantar, de regar para depois colher. Ou seja, plantar o bem sempre. Nos dias atuais um dos meus alvos a respeito disso é que o diz em Gálatas 6:9 "E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido."

Todo texto relatado aqui tem apenas um fim, o de fazer nos refletir sobre a nossa vida. A correria, os relacionamentos, as situações em que precisamos ser curados. Precisamos ser curados da falta de tempo para nós mesmos, de ser curados da indisciplina, de sermos curados em nossa alma, ou seja, sermos curados plenamente. Portanto, rogo a todos pelo direito de Cristo que assiste aos que Ele pertence, para que estejamos mais dispostos a CURA PLENA. A cura de Deus é direito nosso. Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Isaías 53:4-5
 
Entenda o processo de cura como um processo de libertação. É um texto simples, introdutório, mas diante da luz das Escrituras, afirmo de que este é o querer de Deus para nossas vidas, ou se se preferir, o bem querer de Deus para nós. Neste processo eu tenho certeza de um caminho, aquele em que a minha e a sua razão dá lugar a Verdadeira Razão, a de Cristo Jesus. Nele temos tudo que precisamos para relacionarmos saudavelmente.

Neste Novo Ano, eu desejo toda sorte bênçãos espiritual. Isso inclui Cura Plena, a verdadeira Cura de Deus. 

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Devocional 16 - Unidade da fé, o caminho da perfeição


"Sede, pois, perfeitos, assim como perfeito é o vosso Pai celestial" (Mt 5.48).

O "Sede" do versículo de Matheus está no imperativo. É uma ordem. Agora, atente-se que o texto inicial de Matheus é uma ordem com um argumento. "Que sejamos perfeitos, igual ao Pai". Em outros textos, a sugestão é para sermos igual ao Filho, o próprio Jesus. Paulo instrui a sermos imitadores de Cristo. Então, ora igual ao Pai, ora igual ao Filho. Em Genesis 1:26ª diz: "E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança;" O texto no nos dá a idéia de sermos igual ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.

Ser perfeito é ser a imagem e semelhança de Deus. Se o Filho mesmo sendo a exata expressão do Pai, também é um com Ele, significa que a origem da imagem e semelhança é a unidade. A unidade Dele com o Pai é o que traz a forma e a expressão. João 10:30 "Eu e o Pai somos um. Existe algo que unifica ambos, sabemos que é a essência divina. Eles são três pessoas dentro do mesmo ser, Deus.

Então, se vivermos a unidade semelhantemente a Eles que são um, conseguiremos repetir os passos de Cristo. A essência é o Espírito Santo que nos faz um com Deus.. E é através do Espírito Santo unindo ao nosso espírito que podemos ser um com Deus. Isso mesmo. Mesmo sendo fraco, falho, pobre e outras depreciações, podemos ser um com DEUS seguindo o exemplo do Filho. Este é o verdadeiro milagre de Deus através de Jesus.

Agora, para tentarmos ser como Jesus na referência da forma humana, precisamos olhar para seus modelos práticos durante a vida. Agradar a Deus por meio da fé é inicial. Também é uma obrigação de obediência para aquele que é cristão. Em Mateus 3:17 diz "E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo." O Filho que lhe dá prazer! A Bíblia diz em Hebreus 11:6 ª "sem fé é impossível agradar a Deus." A Bíblia nos lembra que a obediência é prova de amor pra Deus. Jesus disse em João 14:21 "Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele." Ou seja, ser perfeito é um desafio de Fé e Obediência. 

Ser perfeito é um ciclo característico de unidade através da fé e obediência que precisamos compreender da seguinte maneira: 1) Fé para obedecer (Obediência é prova de amor) 2) Unidade nossa com Deus onde Ele é o centro do nosso coração. 3) Unidade com o nosso irmão como prova de amor a Deus. 1 João 4:20 Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?  - Uma depende e demonstra a outra. Afinal, o amor é retribuição do amar primeiro de Deus e a base para o relacionamento tanto com Deus para com o nosso irmão. Ou seja, o amor é vínculo da perfeição. Resumindo: O amor é uma pessoa (Deus é amor), o amor é uma atitude (Verbo, um ação. Só ama de verdade quem prova) e o amor é um mandamento (Ordem de Jesus).

Voltando ao contexto de Unidade, em Efésios 4: 12,13 "Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo"  O texto proposto e o que vem a seguir mostra a medida, o meio e o alvo para sermos perfeitos é a unidade da fé. Fala sobre aperfeiçoamento dos santos. "Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo;" Filipenses 1:6. Significa que:  

  • Ele (Jesus) começa e Ele (Jesus) aperfeiçoa.  
  • Ele é o inicio, Ele é o meio e Ele é o fim. 
Mostra que o aperfeiçoamento iniciado tem o alvo: "Ate que todos cheguemos a Unidade da Fé". Ou seja, é um ciclo de vida. O Alvo da nossa fé é quem inicia a fé.

Vamos pensar sobre UNIDADE da Fé no contexto:
  • Unidade não é Uniformidade. Podemos ter unidade mesmo tendo formas diferentes.
  • Unidade não é Unanimidade. Unidade não é ter a mesma opinião sempre.
  • Unidade não é apenas estar junto. Estar junto de uma pessoa não significa estar unido a ela.
  • Unidade é ter a mesma essência. Unidade da fé é a união promovida pela mesma essência de fé, Jesus.

“Jonh Stott disse: ‘No essencial, unidade; no não essencial, flexibilidade; em todas as coisas, o amor” Pergunta: Quem é essencial? Jesus. Então, Nele somos um. Agora o que não é essencial? Nossas habilidades, afazeres, e outras coisas. Afinal, somos diferentes, com funções diferentes, entretanto, o amor de Deus em nossos corações é o que nos une. Sabe por quê? Porque o amor provém da fonte essencial e por isso é o vínculo da perfeição.

Em Colossenses 3:14-15, fala "E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos." Vínculo sugere a idéia de estar ligado. Qualquer ligação que existe, existe sempre entre duas pessoas ou mais. Não se pode estar vinculado se estiver sozinho. Vinculo é o laço da unidade, laço do relacionamento. O vinculo é ponto que promove a comunhão.

Paulo na carta de Efésios traz a idéia de que a Unidade é a essência de termos Cristo como centralidade. Todas as coisas em nosso ser funcionam para a vontade Dele, Jesus. Porque Ele, Jesus, é a nossa medida. 

Sendo assim, se duas pessoas estão em Cristo, mesmo sendo diferentes, mesmo estando em localidades diferentes, se Jesus for à essência de sua fé, as mesmas vivem em unidade. 1 Coríntios 12:12 "Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também."

Em um corpo as mãos funcionam para a vontade da cabeça. E as mãos estão vinculadas aos pés pelo corpo. E ambos, mãos e pés, têm funções diferentes, formas diferentes, entretanto, obedecem ao comando da cabeça. Unidade é isso. É quando pessoas diferentes, de formas diferentes entendem e buscam o mesmo alvo. Unidade é o patamar mais alto exigido por Deus para o relacionamento da sua Igreja. É meio pelo qual alcançamos a perfeição mesmo sendo tão diferentes.

Para finalizar, um resumo do que representa a Unidade da fé (Essência da fé que nos une) e um sumário da correlação disto com algumas das verdades essenciais cristãs. Nos.: É muito mais amplo que isso, mas dá para ter uma idéia.
  • Jesus é o principio de todas as coisas - João 1:1-3
  • Jesus é o Filho de Deus, logo é Deus - Matheus 16:16
  • Fomos feitas a imagem e semelhança Dele, Jesus que é Deus, e para este propósito que Ele veio nos salvar - Genesis 1:26, Romanos 8:29
  • Crer nele é uma revelação. Ou seja, Deus precisa iluminar o nosso entendimento para que a gente se converta - Matheus 16:17, 2 Coríntios 3:16
  • Em Deus existimos, vivemos e nos movemos. Por este texto prova que ser é muito mais do existir. Apenas se estivermos em Deus temos vida própria para o ser. Atos 17:28 completa João 14:6
  • Jesus sendo Deus é também a única forma de chegar a Deus. João 14:6
  • Ele é o principio, meio e fim. Ele é a nossa essência. Ele é o autor e consumador da fé. Ele é a “Esperança da glória”, o fundamento da igreja, A cabeça do corpo. Apocalipse 22:13, João 1:3, Efésios 4:10-13, Hebreus 12:2, Colossenses 1:27
  • Tudo se explica Nele. Ser redimido por Ele e ter a Sua essência é o que nos faz elevar o caminho para o alto padrão de Deus. Apenas assim a vereda dos justos se torna dia perfeito. Romanos 11:36, Isaías 55:9, Hebreus 9:14, completa Provérbios 4:18
  • Deus Pai, Ele é tudo em todos. - Efésios 4:6

Têm-se a mesma essência, significa que temos o mesmo alvo. Se o alvo é o mesmo, significa que o caminho para se chegar ao alvo também o será. Se trilharmos juntos nesse caminho e quisermos a mesma coisa, inevitavelmente pela condição do Evangelho teremos comunhão. Tendo todas estas coisas, significa que estamos no rumo da unidade da Fé, a medida do varão perfeito que é Cristo Jesus

Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.1 João 1:7

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Espiritualidade vs Pecado - Sobre a Vaidade


"A verdadeira espiritualidade, a espiritualidade cristã, tira a atenção de nós mesmos e foca-a em outra pessoa: Jesus."  Eugene H. Peterson

O que mais aprendo na caminhada do Evangelho é renunciar meus desejos para que Cristo apareça ao invés de mim. É tirar a atenção de mim.
É lutar contra o desejo exagerado de chamar a atenção para si, ou seja, a vaidade. 

Primeiramente, vamos refletir sobre a vaidade. Sentimento complexo e sutil. Perigo constante e inicialmente imperceptível na vida dos homens. Instaura-se no ser por uma simples honraria que recebemos de alguém ou por algo que fazemos. Seja o desejo de sucesso profissional, sucesso pessoal, por pessoas que temos ao lado, por objetos. Vangloriamos-nos por tudo. 

Biblicamente, a citação mais usada sobre a vaidade veio de Salomão, referido como o homem mais sábio do AT.
Vaidade das vaidades, diz o Pregador; vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (Ec 1:2). Texto clássico que usamos sempre para referir sobre uma atitude de alguém que sutilmente foi vaidosa. E no fundo, o apelo do texto de Eclesiastes 1 é sobre isso mesmo, sobre o fútil orgulho pelo que fazemos.

Outra idéia é que vaidade está sempre atrelada ao orgulho e a soberba. Em ambos, existe um componente chamado vanglória. Ou seja, uma glória em vão, que não produz nenhum benefício. Faz a pessoa se sentir vaidosa, acreditando que tem uma eleição especial da parte de Deus ou por sua capacidade ou feito. Entretanto, sabemos que o mesmo se engana, pois a vaidade não tem proveito algum que não seja para iludir a si mesmo.

Na experiência de caminhada cristã, considerando apenas a aplicação do texto para os cristãos, vejo algumas pessoas que, por um critério de Deus que eu desconheço, recebem graciosos presentes Dele. No entanto, o critério mais valorizado pela bíblia não são estes dons, mas sim o caráter. E por esta valorização das escrituras, percebo que a Bíblia está comunicando que não ter vaidade é um atalho para acelerar o processo de ser um bem aventurado. 


Agora, aqueles que se acham especiais, melhor que os outros, que agem com soberba ou orgulho, com a pretensa de idéia de ser especial e por isso acima dos outros, precisam lembrar que este foi um dos sintomas da "Síndrome de Lúcifer (Livro de Caio Fábio que eu recomendo). Afinal, numa conclusão simples e lógica, este foi um mal até entre os anjos, leia Ezequiel 28. Um pecado complexo, interno, sutil e que mascara e por isso esconde outros pecados, justamente por trazer a ilusão de que existem homens melhores. Ou seja, homens que se acham o centro das atenções por sua habilidade.

Ao falar sobre espiritualidade de uma maneira simples, apontamos para o fator que se opõe a ela. O pecado. Segundo a Bíblia, o pecado é a barreira que faz separação entre nós e Deus (Isaías 59:2). Também sabemos através das Escrituras Sagradas que Deus é Espírito (João 4:24).  Então ser Espiritual é se encher de Deus, automaticamente ser avesso ao pecado. Informações simples, e por isso, qualquer Cristão que se preze sabe que o "não peques mais" de Deus é para o nosso próprio bem, para a nossa própria espiritualidade


A intenção do texto também é propor o espírito alerta. A vigilancia. Estar consciente e atento porque a vaidade se faz presente em muitos momentos da nossa vida. Faz parte da nossa natureza e sutilmente pode nos prejudicar quando ela domina os nossos anseios. O bom árbitro para este tipo de atenção é se o que você vive ou deseja tem o profundo desejo de honrar a Deus primeiramente. E diante desse desejo, o passo seguinte é orar para saber se esta é a direção Dele para o momento. E apenas quando a paz de Deus estiver guardando o seu coração e neste contexto Deus venha te responder de uma forma direta é que a atitude deve proceder. 

Finalizo propondo o fixar no coração a orientação do “Não peques mais”.  Lembrando que “não pecar mais” é uma das formas de ser espiritual. E para que isto aconteça,  precisamos finalizar todo contato e toda brecha que permite o pecado. Ou seja, tudo que promova o erro deve ser minuciosamente evitado. É algo essencial para vida Cristã e para testemunharmos ao mundo de que Jesus Cristo o Filho de Deus vivo é real. Isso é "cuidar para ficar de pé".

“Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor.”  Romanos 6:11

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Deus e o tempo


“Ordena o que quiseres, e dá-me o que ordenares.” Agostinho

Fazendo um esforço, é possível sugerir a definição do tempo como o mistério que envolve um senso comum utilizado para reconhecer e ordenar a ocorrência da vida em si. É como se fosse uma lei que Deus usa para que a "vida" não possa parar. Neste mistério, podemos concluir que todos os seres humanos reconhecem o tempo, entretanto nenhum consegue controlá-lo.

Agora, observando o tempo, a sua progressão, temos percepções diferentes. Minúcias que nos leva a uma lógica para reconhecê-lo, mas também ao reconhecimento de nossa limitação para determiná-lo. Tem uma frase que dizia em um relógio no Rio de Janeiro: "Cada segundo que passa é um milagre que jamais se repete." Assim como o milagre é uma surpresa, o tempo assim é... Ele acontece sempre, nunca volta. É contínuo, pode ser datado por algum símbolo, entretanto, sempre o tempo é irreversível.

Contudo, existe alguém maior que mistério do tempo. Para O Tal, o desafio de controlá-lo não existe. Pois, se Deus, conhecido como o Criador de todas as coisas, fez o tempo. Porque Ele, o Deus acima de tudo e todos, seriam limitados pela sua própria criação? Jamais, Ele é Deus e diante do tempo, Ele é atemporal. Deus não é limitado pelo tempo e nem pelo espaço. Seu Ser transcende o tempo e o espaço. 

No mesmo raciocínio pergunto: O tempo tem poder extra ou sobrenatural para curar ou amenizar alguma coisa? Nunca. Não pode por si mesmo e nem deve porque esta não é a função do tempo, mas de Deus. Porque estou dizendo isso? Porque estou questionando a falsa verdade de que o tempo pode curar, ser um apagador e etc. O tempo não pode ser desculpa para alguma coisa que Ele não foi criado. Se alguém justifica tempo para pensar melhor, justo é. Agora se diz que o tempo fará determinadas coisas que dependem de nós, no engano está. O tempo dentro da ótica bíblica é o acompanhante de algum propósito que Deus determina. Ele é passivo e apenas resgitra para nós o caminhar da vida. Nunca o tempo será o ativo que tem poderes para agir em nosso lugar. Ele traz a oportunidade condicionada ao outro agente ativo. Tudo regido incondicionalmente com a permissão de Deus. 

Faço referencia de Eclesiastes 3, onde o texto traz a idéia de que cada instante tem um objetivo, o que sugere ao meu simples olhar a oportunidade que o tempo traz. Ou seja, o tempo por si mesmo não controla, apenas traz o propósito de alguém que o rege por traz. Observe que o tempo é sempre o tempo de alguma coisa. Tempo de amar, tempo de chorar, tempo de sorrir e assim sucede. E ainda que a frase - "apenas o tempo pode curar" - seja uma hipérbole, a lógica humana me parece demasiadamente sem lógica. Ex: Se o tempo pode curar algumas situações, então não precisamos de médicos, psicólogos e outros, apenas devemos esperar o tempo fazer o trabalho. Isto soa como lógico, entretanto a premissa para construir o argumento está equivocada. É necessário que observemos que o tempo é o transporte da oportunidade. Ele transporta a temporada de algum advento e por si mesmo data o tal acontecimento para a lembrança. Ele é o lugar que pode escrever o evento, mas nunca ser o agente da eventualidade. É apenas o meio por qual Deus nos dá a oportunidade de aprender, crescer e entender um pouco mais de sua vontade soberana. E mais, O tempo não faz a função que só Deus pode fazer. 

Enfim, a idéia deste pequeno texto é apenas estimular para que cada um entenda o valor real de determinadas coisas. Nos seres humanos temos a mania de dar nomes, valores, funções a coisas que são apenas instrumentos que Deus usa para governar a vida. Deus é Deus do tempo também, entretanto não se limita a Ele. Deus não espera. Deus é Eterno. Deus existe fora do tempo. O passado e futuro para Deus mesmo são.

O tempo para nós é um desafio de grandiosidade, para Deus é apenas o meio que transporta a sua vontade soberana e que mostra o homem que a sua insignificância e preciosidade não são contradições. Agora, Ele propôs o tempo para que juntamente com as leis espirituais possam reger a reação de determinadas coisas. Coisas que Ele, Deus, espera de nós. Todavia, coisas que Ele não força a nós. Apenas sugere a oportunidade através do tempo.


Deus não se limita a nada. E nem deixa ninguém fazer o que é Pertinente a Ele apenas. Muito menos o tempo.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Devocional 15 - Tenho Jesus e nada me falta

Não sei se algum cristão, provavelmente sim, contou às coisas que sabemos e temos por causa de Jesus. Temos Jesus o que acarreta em infinitas possibilidades e benefícios. Na minha simples opinião, acredito que nossa prosperidade vem disso. Temos Jesus e nada nos falta. Pense: 

  • Sabemos quem nos criou, e por isso sabemos de onde viemos. (Genesis 1) 
  • Os cristãos também sabem para onde vão. Ele mesmo prometeu que iria preparar o lugar. (João 14:2) 
  • Temos um Salvador (Libertador), Redentor, Aquele que nos torna justos (Justifica). (Lucas 2:11, Isaías 47, Gálatas 2:16) 
  • É nossa Esperança da Glória. Se for nossa esperança, significa que também é nossa alegria. (Colossenses 1:27, Romanos 14:17) 
  • Também temos Nele, Jesus, a expressão máxima do amor para que amemos uns aos outros. (Marcos 12:28-34)
  •  Temos obediência Dele ao Pai e suas referencias como prova de amor que nos faz vencer e resistir o inimigo. (João 14:21, Tiago 4:7)
  •  Temos comunhão que é característica de andar na luz, temos unidade que é o molde para elevar nosso caminho a plenitude do varão perfeito. (1João 1:7, Efésios 4)
  •  Perceba que temos valores gerados pelo Espírito Santo como animo longo (longanimidade), mansidão, humildade, paz, domínio próprio. (Gálatas 5:22,23)
  •  Tesouros espirituais como discernimento, sabedoria, conhecimento revelado. (1 Coríntios 12:1) 
  • Acrescenta-se vida eterna, novidade de vida, vida abundante. (João 3:15, João 10:10, Romanos 6:4)
  • Paternidade de Deus dizendo que somos filhos da luz, filhos de Deus. (João 12:36, 1 João 5:1,2)
  •  Nossa Torre forte, o Deus forte, Nosso refúgio, Socorro na hora da angústia, O único que pode nos livrar. (Provérbios 18:10, Provérbios 18:10, Salmos 46:1, Daniel 3:17)
  •  É o nosso Pastor, Professor, Conselheiro, Ajudador (Consolador). (Salmo 23, Matheus 11:29, João 14:26, Isaías 9:6) 
Nele vivemos um processo maravilhoso de crescimento como um ser humano do ponto de vista de Deus. Afinal Jesus é primogênito de muitos filhos, dos quais Deus quer que seja como Ele. E neste plano há um processo que passa por:

  • Conversão  que envolve fé + arrependimento. Ou seja, crer para se arrepender. Porta de entrada do Reino de Deus. (Atos 3:19, Matheus 3:2) 
  • Propiciação e substituição - A morte que morreu minha morte, que substituiu. Não apenas morreu minha morte como venceu a morte. Por isso a vida que Ele nos dá é eterna. (1 Pedro 2:24)
  • Remissão (perdão), redenção (resgate, libertação) e reconciliação - Crer em sua obra, sacrifício e ressurreição traz estes benefícios. ( Lucas 3:3, Colossenses 1:14)
  • Transformação, justificação, santificação, preservação Este é processo que se gradua (Romanos 4:25, 1 Tessalonicenses 4:7, Hebreus 12:14, Romanos 5:10)
  • Ser como Ele, Jesus, é o propósito de Deus para nós (Romanos 8:29) 
  
Se fosse ficar enumerando os bens espirituais, os benefícios físicos, as promessas e todo processo que “coopera” para o nosso bem, não seria suficientes em tos os livros, assim como João percebeu dizendo: “Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém.João 21:25