sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

PROJETO MINHA ESPERANÇA - BRASIL

Vem aí o Projeto Minha Esperança, de e para as igrejas evangélicas brasileiras, em parceria com a Associação Evangelística Billy Graham, que resultará na maior colheita de almas de todos os tempos na história do Brasil.

Aguarde!

Contatos:

(0xx11) 3429-5100

secretaria@minhaesperanca.com.br

(extraído do Site Minha Esperança Brasil)

HuMoR - Fisica do Petrefiolismo

Pilantropia (4) - Cura até...


quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Resumo Semanal - Testemunho, convites e pedido de oração

Testemunho do Blog Daniel's
Recentemente recebi a noticia de que uma pessoa se converteu a Jesus por intermédio do Blog Daniel's. O nome desse moço é Pedro que recebeu o post Cry out to Jesus - Clame por Jesus

encaminhado por um amigo e parceiro ministerial chamado Anderson. A alegria consiste de que a forma da ação divina nos surpreende por métodos poucos convencionais e pela naturalidade que as coisas funcionam. Esse moço hoje esta muito feliz por sua decisão. Fiquei extasiado e resolvi compartilhar a experiência com os irmãos.


Portas que se abrem

Estou muito feliz porque as oportunidades estão aparecendo. Alem da Gravação do primeiro CD depois de anos de estrada e de festivais conquistados, estou recebendo convites para pregações, palestras para músicos e ate seminários.


Motivo de oração
Alem dos costumeiros pedidos de oração para os missionários Dener e Gal, eu tbem peço oração a um casal de amigos. Esta semana fiquei sabendo que estão se separando. Não fiz juízo e nem tomei partido, apenas orientei que este de situação desgasta mais do que imaginamos. E O melhor remédio no momento é esfriar a cabeça e orar pra que Deus dê a direção, pois nesse casos apenas o tempo dirá verdade, pois há muito sentimento envolvido.

O dia em que o Auto-clero se rebelou

A maior organização gay dos EUA confessa a verdade:

Washington, D.C., EUA - Em declaração pública no dia 8 de fevereiro de 2008, Matt Foreman, diretor executivo da Força Tarefa Nacional Gay e Lésbica, perturbou o movimento homossexual militante ao se juntar à Vigilância Sanitária americana, a organizações pró-família e a um número crescente de ativistas homossexuais dispostos a admitir que a conduta homossexual representa risco extremo e é a principal responsável pela propagação do HIV/AIDS nos EUA.

Tratando do assunto da AIDS, Foreman se desviou drasticamente da linha partidária do lobby gay ao confessar: "Internamente, quando esses números são divulgados, a classe de militantes gays parece reagir com indiferença em massa, como se isso não fosse nosso problema. Gente, com 70 por cento dos portadores do HIV deste país sendo gays ou bissexuais, não podemos negar que o HIV é uma doença gay. Temos de aceitar isso e enfrentar a verdade".

Pouco mais de um ano atrás, Lorri Jean, diretora-executiva do Centro Gay e Lésbico com sede em Los Angeles, de forma semelhante chocou o movimento homossexual ao declarar: "O HIV é uma doença gay. O HIV é nosso. Acabemos com ele".

A confissão de Foreman vem logo após a carta de Matt Barber, diretor de questões culturais de Concerned Women for America, convidando Foreman e outros ativistas homossexuais a cooperar para desencorajar os homossexuais de se engajarem nas condutas de alto risco que pesquisadores recentemente determinaram são responsáveis pela propagação epidêmica de uma variante potencialmente mortal de uma infecção estafilococa entre certos segmentos da população gay. A Vigilância Sanitária reconheceu que muitas dessas mesmas condutas de alto risco, tais como o sexo anal entre homens, são as principais responsáveis pela propagação do HIV/AIDS.

Matt Barber falou com relação à confissão de Foreman: "É extremamente animador ver que Matt Foreman, um ativista homossexual que por muito tempo negou os perigos do estilo de vida que ele promovia, publicamente agora aceita a verdade de que esse estilo de vida traz perigos inegáveis.

"Só espero que agora ele pare de promover a conduta homossexual e faça campanhas para que as elites liberais, principalmente os que administram as escolas públicas, tomem a mesma atitude. Os educadores precisam sinceramente tratar das conseqüências potencialmente mortais do estilo de vida 'gay'.

"É crime e falta de juízo a Associação Nacional de Educação e os educadores liberais colocarem os modismos politicamente corretos e uma agenda política enganosa acima das vidas, saúde e bem-estar das crianças da nação. A evidência está aí para todos verem. Homossexualismo não tem a ver com 'quem' são eles, mas com 'o que' fazem eles. A Força Tarefa Nacional Gay e Lésbica tem agora, de fato, reconhecido essa realidade. A honestidade deles é estimulante e inesperada", concluiu Barber.

Título do original: Top "Gay" Organization Comes Clean: "HIV is a gay disease."


Traduzido e adaptado por Júlio Severo: www.juliosevero.com

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Pedido de Desculpa aos Leitores

Leitores,

venho pedir desculpa por não esta atualizando. Não é falta de matéria, reflexão ou mesmo tempo, mas o motivo é que o modem da Internet "pifou" e no serviço não tenho tempo para postar. De qualquer forma esta semana consigo resolver este problema.

Vou compartilhar muitas coisas e até mesmo testemunhos de coisas que tem acontecido por intermedio do Blog Daniel's.

Um abraço a todos

domingo, 24 de fevereiro de 2008

Dc Talk- In The Light

Pensamento Solto

Não tenho nada contra homossexuais e outras pessoas que são de certa forma marginalizados no meio cristão, apenas não aceito algumas imposições que querem ferir o que eu creio. Meus princípios são cristãos e são norteado pelo amor, compaixão e graça, porém com temor necessário para reverenciar a Bíblia como ela é - A Absoluta Palavra de Deus. E ela condena pecado orientado que o mesmo leva a morte eterna.

Não aceito impor sobre mim um comportamento que não se justifica na Bíblia. A impressão que tenho são que alguns irmãos tentando abaixar o nível moral do Evangelho de Jesus para que ele seja mais atraente do ângulo humano, a fim de obter conversões.

(Jo 14:4)"Quem do imundo tirará o puro? Ninguém."; Provérbios 6:28: "Ou andará sobre as brasas sem que se queimem os seus pés?"


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Pedofilia - Blogagem Coletiva - Leituras sugeridas

Este dias tenho sido ausente na Blogosfera e especificamente no Blog Daniel's por estar trabalhando muito. Novo emprego, temos aquele momento onde temos que adaptar para aprender a rotina e atender a demanda. De qualquer forma, deixando as justificativas de lado, quero propor textos e ao mesmo tempo aderir a campanha contra pedofília. Como comentei no Blog do Rapensando, não consigo traçar um perfil para o pedófilo. Vejo traços de doença (loucura), crime, possessão demoníaca. Talvez melhor explicação é que são todas essas coisas juntas. Enfim, vou sugerir alguns textos e reproduzir um post da Norma Braga.

Os textos

Pedofilia erótica, vc concorda - Luz de Luma

Pedofilia - Uma visão Patológica - Blog do Rap

e abaixo segue o post da Norma

Diálogos (imoralmente) Irrelevantes V (pedofilia)

Se um interlocutor se imiscuísse no artigo de um autodenominado filosófo do qual não quero dar o link – quanto menos divulgado, melhor – , qual seria o diálogo resultante? Confira.

- Eu acho um absurdo essa recente "caça às bruxas" de nossa sociedade ocidental contra o que chamam de "pedofilia".

- Ah é? Por quê?

- Ora, para começar, a nossa história está repleta de exemplos de uniões com êxito entre pessoas de idades diferentes.

- Ah, por favor, que conceito fluido de "pedofilia" é esse? Você não vai comparar "uniões entre pessoas de idades diferentes" com pedofilia, vai?

- Espera aí. Relações entre adultos e crianças não precisam ser traumáticas. Existem casos em que as relações sexuais, até mesmo com certa violência, não deixam marcas físicas e psicológicas nas crianças. Você se lembra da sua infância?

- Minha infância? Cara... Acho que até mesmo o mais leve olhar sexualizado de um adulto deixa marcas. As crianças são muito sensíveis e eu me lembro de cada momento de minha infância. Não se brinca com isso. O fato é que a criança tem mecanismos adaptativos muito fortes, pois ainda não desenvolveu proteções psicológicas adequadas. O adulto pode conseguir os pactos mais esdrúxulos com uma criança, se conseguir ganhar a confiança dela. Se esse pacto for o abuso sexual, ela vai se tornar alguém problemático com relação ao sexo, perpetuando o abuso por sua vez.

- Não é bem assim. Existem muitas crianças que até fantasiam experiências com adultos e que, uma vez perguntadas se foram "abusadas" sexualmente, dizem "sim" com orgulho, de acordo com a expectativa dos que perguntam.

- Não acredito que isso seja tão constante assim. (Aliás, como é que você sabe?) Mesmo assim, é o que eu disse: o fato de a criança ter se adaptado a isso, inventando ou não, não é prova de que a pedofilia pode ser algo "normal". Assim como o fato da existência de uma boa quantidade de assassinos no mundo não prova que a morte provocada seja normal e desejável! Que argumento é esse para um filósofo?

- Mas, no caso do sexo, é diferente. Os relacionamentos são convenções da sociedade, que sempre busca punir quem não se enquadra nos padrões considerados corretos. No final das contas, todo mundo vai querer punir quem não fizer sexo no estilo "papai e mamãe", isto é, de pijama, só depois da novela, com parceiros heterossexuais e de mesma idade.

- Que absurdo você está dizendo. Há muito tempo ninguém pune ninguém por aquilo que é feito no quarto, entre adultos. Mas com criança é outra história. Você está comparando o incomparável. Quer dizer que a proibição à pedofilia é só uma "convenção"? Você acha então a pedofilia normal e aceitável?

- [Absorto no que diz] Isso não é só hipocrisia. Isso não é só cegueira ideológica e, quem sabe, religiosa. Isso é nazismo! É a Inquisição! Aí as pessoas começam a fazer "denúncias anônimas", o que é um perigo. Pegam o telefone para denunciar o comunista de hoje em dia, ou seja, o "pedófilo". Junto com o pai que não paga pensão, com o ladrão de galinha, o pedófilo é agora o inimigo número 1 da nação. Pobre nação! [Segue-se um longo monólogo sobre a excessiva criminalização praticada nas sociedades atuais.]

- Escute, você está mudando de assunto. Além disso, usou o exemplo mais errado possível: as sociedades comunistas são as que mais incentivam a criminalização. E o pior, não por crimes enquadrados no código penal, mas sim por crimes de opinião, como o que os homossexuais querem fazer com a tal lei da homofobia...

- (...)

- Mas ok, responda à minha pergunta, por favor. Você acha a pedofilia normal e aceitável?

- Não! Imagina. Estou longe fazer a defesa de algo como a pedofilia. Mas não concordo que nossa sociedade teça julgamentos sem levar em conta nossa tradição cultural, sem considerar o que de fato consideramos correto no Ocidente, e o que é e o que não é "abuso sexual" com crianças e jovens.

- Mas o que você está querendo dizer exatamente? Existe algum tipo de relação sexual com crianças que não seja abuso? Não percebe que com esse discurso você está indiretamente relativizando a noção de "pedofilia"? E que isso acaba sendo, sim, uma defesa da pedofilia?

- Não. Acredito que nisso tudo há uma falta completa de reflexão filosófica. E quem busca coibir a pedofilia nem sempre está preparado para entender situações que só com mais esclarecimento intelectual e mais vivência podemos entender. Não leva em conta que crescer e se tornar adulto não é uma tarefa fácil. É um processo social e histórico.

- Claro. Mas, antes de tratar o problema de adultos abusadores que continuam com sua sexualidade infantilizada – ou seja lá qual for a motivação de quem sente atração por crianças, não sei, não sou psicólogo – , é preciso tirar esses adultos de circulação, para que seja interrompido o ciclo do abuso sexual. As pesquisas dizem que quem é abusado se torna quase invariavelmente um abusador por sua vez. Primeiro, é um caso de polícia; depois o psicólogo intervém. Mas a coisa tem que parar. É crime. As "reflexões filosóficas", nesse caso, só serviriam para deixar os pedófilos mais livres...

- [Com o olhar suspenso] Você tem razão quanto à imaturidade sexual na idade adulta. Há um filme chamado "Pecados íntimos" em que todos os personagens continuam vivenciando sua infância. São adultos e tentam cumprir, como nós, suas obrigações sociais, mas são um pouco... infantis. Cada um de nós, de algum modo, é um daqueles personagens...

- Opa, peraí. Lá vem você relativizando de novo. Tá certo que a maturidade plena é difícil, mas esse tipo de imaturidade que leva ao abuso infantil, você há de convir, é algo muito mais sério... Podemos até nos identificar com a imaturidade dessas pessoas, mas não podemos, com base nessa identificação, promover um tipo de relativismo "compreensivo" que contibuirá, no final das contas, para a criação de um maldito NAMBLA, uma associação de pedófilos, no Brasil.

- Mas cada caso tem que ser analisado, para entender a diferença entre alguém que precisa de um tratamento por ser pedófilo e alguém que está propondo certas práticas — que no limite não serão malévolas — , práticas possíveis de serem propostas segundo uma série de fatores culturais.

- [Arregalando os olhos] Como assim? Que práticas???

- Tá vendo? Quando se fala de sexo, as pessoas ficam de cabelo em pé, igual você, agora. Os crimes sexuais, mais do que o assassinato, inspiram o fascismo...

- Oh, pare de se desviar do assunto! Responda, que práticas podem ser "pouco malévolas" em se tratando de tentativas sexuais entre um adulto e uma criança?! A criança está evidentemente em posição de inferioridade com relação ao adulto...

- Veja como você ficou nervoso! Isso é sintomático. Esse furor, esse desejo coletivo de castração do criminoso sexual, torna as pessoas tão ou mais perigosas do que os chamados pedófilos. A coletividade castradora é a direita, o fascismo, atacando coletivamente, enquanto o pedófilo, se quer abusar de crianças à força, ataca só individualmente...

- Agora você extrapolou tudo, meu caro. Não tenho visto nenhuma coletividade por aí, de facas na mão, correndo atrás dos pênis dos criminosos sexuais. Por outro lado, a pedofilia é algo que as mesmas sociedades ocidentais que você condena estão doidinhas para legalizar, porque estamos em uma época em que ninguém mais aceita freios para o desejo humano. E tem mais uma coisa: quando menciona "abusar de crianças à força", você parece querer defender que não é pedofilia o assédio adulto "consentido" pela criança. Esse é o mesmo argumento dos pedófilos do NAMBLA. Dizem que, se a criança aceita, por que não fazer...?

- Olha, nós não vamos chegar a bom termo criminalizando várias práticas sociais que até bem pouco tempo havíamos elogiado. O amor entre pessoas de idades diferentes foi e, em alguns lugares ainda é, uma prática incentivada no Brasil. Muitas de nossas avós casaram com homens bem mais velhos, quando ainda eram meninas. Não foram infelizes. Muitas meninas atraem propositalmente homens mais velhos, e isso não é o fim do mundo.

- Você está comparando o casamento das nossas avozinhas com a pedofilia? Você tem idéia do que está dizendo??? O adulto que se interessa sexualmente por uma criança logo abandonará essa mesma criança quando ela estiver com mais idade, porque terá perdido o interesse nela. É tão óbvio que a pedofilia é uma relação que degrada a criança, que é vista apenas como objeto sexual! Você está comparando isso com o relacionamento compromissado que é um casamento feliz? Sua visão está totalmente distorcida. Eu sabia que essa conversa não ia chegar a lugar algum.

- [Fechando a cara.] Regras rígidas e sem uma base de estudo podem nos conduzir a um Brasil como prisão coletiva, uma sociedade infeliz, meu amigo.

- Não me chame de amigo, por favor. É preciso uma prisão coletiva para pessoas como você, que sob a capa de "filósofo" contribuem para que mais e mais crianças sejam empurradas para o abismo sem fim que é a dor do abuso sexual. Você precisa se tratar!

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Evangelismo de um Crente legalista

Segundo O Texto: Legalismo: O Assassino da Graça, considera-se que para um legalista, ser um crente significa um estilo de vida rígido,. duro, inflexível, severo, carente de cor e gozo.

O conceito acima é a introdução para citar um evangelismo de moço para um Não Cristão nesses moldes. Segue:

Crente Legalista: Vc precisa abandonar essa vida de Pecado e ir para Igreja
Não Cristão: "Olhando assustado"
Crente Legalista: Vc precisa parar de assistir televisão... Largas essa coisas mundanas que roubam a unção e vir para a Igreja.
Não Cristão: "Ainda olhando assustado"

A conversa durou algum tempo e praticamente não ouvi o nome de Jesus no dialogo.

Conselho:
Depois de um diálogo como este, fiquei pensando no Convite de Amor que Jesus fez para a humanidade e que ilustra bem o que deve ser o Evangelismo."Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e meu fardo é leve." Mt11:28-30

Neste convite Deus não estabelece regras. Com graça e caridade ele convida a todos. Pecadores marginalizados, homicidas, prostitutas, homossexuais a virem sem o fardo da preocupação doutrinária ou da mudança de vida sem ação divina. Deus não é regra; Deus não é doutrina; Deus não é convenção. Deus é o Senhor que opera com a ação perfeita do amor que que através de sua graça alcançou toda a humanidade estabelecendo o vinculo perfeito, ou seja, aliança infinita que não pode ser quebrada pelo jugo do pecado.

Perguntas Retóricas

O texto a seguir foi lido no Blog Teologia e Arte

Estive pensando em algumas coisas ao longo dos últimos anos e, de tão intrigado que fico com algumas delas, decidi colocar minhas indagações na forma de perguntas. Algumas das perguntas ouvi de outros, como a 4, a 5 e a 6, que aprendi com Juan Carlos Ortiz (do livro "O discípulo"), mas a maioria veio de experiência própria. Resolvi utilizar o mesmo estilo de argumentação de Philip Yancey, no seu livro "I was just wondering" ("Perguntas que precisam de respostas", editora Textus). Afinal, como diz o ditado, "perguntar não ofende"...

Eu só queria saber:

1. Por que palavras como "paixão", "fogo", "glória", "poder" e "unção" vendem muito mais CDs do que "graça", "misericórdia" e "perdão"?

2. Por que aqueles que mais falam sobre "prosperidade" evitam sistematicamente textos como Tiago 2:5, I Timóteo 6:8 e Habacuque 3:17-18?

3. Por que se fala tanto em dízimo, defendendo-o com unhas e dentes, mas quase nada se fala sobre ter tudo em comum e outras coisas como "ajudar os domésticos na fé" e "não amar somente de palavra e de língua mas de fato e de verdade"? Em qual proporção a Bíblia fala de uma coisa e de outra?

4. Por que em Atos 4, quando os apóstolos foram presos, a igreja orou de forma tão diferente do que se ora hoje? Por que não aproveitaram a ocasião pra "amarrar o espírito de perseguição", pra "repreender a potestade de Roma", ou coisa semelhante?

5. Por que Atos 2:4 é muito mais citado como modelo do que era a igreja primitiva do que Atos 2:42?

6. Por que todo mundo sabe João 3:16 de cor, mas tão pouca gente sabe I João 3:16?

7. Por que 90% ou mais dos cânticos congregacionais modernos são na primeira pessoa do singular, quando a proporção nos salmos é muito menor?

8. Por que todo mundo aceita que Jesus curou e colheu espigas no sábado, aceita também que Deus ordenou que seu povo matasse vários povos rivais, mas se escandaliza absurdamente quando alguém diz que Raabe fez certo ao mentir para preservar duas vidas? O que vale mais, em situação de conflito, que um soldado pagão saiba a verdade ou a vida de dois homens? Será que se Raabe tivesse dito a verdade, teria sido elogiada em Hebreus 11?

9. Por que quase tudo que se vende numa livraria cristã foi produzido nos últimos 50 anos, se nosso legado é de 2.000 anos de História do Cristianismo? O que aconteceu com os outros 19 séculos e meio?

10. Por que tanta gente que acredita que a salvação é pela graça, ou seja, não é obtida sendo "bonzinho", paradoxalmente acredita que ela pode ser perdida sendo mau? Pode algo ganho sem mérito ser perdido por demérito?

11. Por que a Igreja é muito mais rigorosa com pecados sexuais como o homossexualismo do que com a gula ou a ganância? Aliás, por que em tantas igrejas a ganância nem é vista como pecado, mas como virtude, disfarçada com o nome de "prosperidade"?

12. Por que tantos evangélicos chamam seus líderes de "apóstolos", mas criticam os católicos por seguirem um líder chamado "papa"?

13. Por que, mesmo o Cristianismo crendo que o homem foi nomeado por Deus como o responsável pela criação, e que tudo que Deus criou é bom, são os esotéricos os que mais lutam pela defesa do meio-ambiente?

14. Por que, na maioria dos grupos de louvor no Brasil, não há espaço pra quem toca instrumentos brasileiros como o cavaquinho e o berimbau?

15. Por que todos os ritmos de origem na raça negra até hoje são considerados por alguns como diabólicos?

16. Por que alguém como Lair Ribeiro faria mais sucesso como pregador hoje do que, digamos, Francisco de Assis?

17. Por que se canta tanto sobre coisas tão etéreas como "rios de unção" e "chuvas de avivamento", ao passo que Jesus usava sempre figuras do cotidiano para ensinar, como sementes, pássaros e lírios?

18. Por que se amarra, todos os anos, tudo quanto é "espírito ruim" das cidades, fazendo marcha e tudo, mas as cidades continuam do mesmo jeito? Aliás, se os "espíritos ruins" já foram "amarrados" uma vez, por que todo ano eles precisam ser "amarrados" de novo?

19. Por que uma doutrina como o pré-tribulacionismo, que apregoa que Jesus vai tirar a igreja da reta de qualquer sofrimento ou perseguição, não faz sucesso algum na China, no Irã ou na Indonésia? Aliás, por que ela fazia tanto sucesso na China pré-comunista, e depois declinou por lá?

20. Por que se canta todos os dias "Hoje o meu milagre vai chegar"? Afinal, ele não chega nunca? Que dia está sendo chamado de "hoje"?

21. Por que Jó não cantou "restitui, eu quero de volta o que é meu", nem declarou ou amarrou nada, muito menos participou de "campanha de libertação" quando perdeu tudo?

22. Por que tanta gente acredita que a terra e o universo foram criados há 6 mil anos, interpretando Gênesis 1 literalmente, mas esses mesmos nunca dizem que o sol gira em torno da terra, interpretando literalmente Josué 10, tampouco dizem que a terra é retangular, interpretando literalmente a expressão bíblica "os quatro cantos da terra"?

23. Por que nós nunca vamos ao médico e pedimos, "doutor, dá pra queimar essa enfermidade pra mim por favor"? Por que então se ora pedindo isso pra Deus? Seria correto orar assim pra Deus curar alguém enfermo por causa de queimadura?

24. Por que não se faz um mega-evento evangélico, desses que reúnem um milhão de pessoas ou mais, pra fazer um mutirão para distribuir alimentos aos pobres ou ainda para recolher o lixo da cidade? Aliás, por que se emporcalha tanto as cidades com óleo e outras coisas nos tais "atos proféticos"? Não seria um melhor testemunho limpá-la ao invés de sujá-la?

25. Por que as rádios evangélicas tocam tanta coisa produzida por gravadoras ricas e nada produzido por artistas independentes?

26. Por que se faz apelo ao fim de uma "pregação" que não fez qualquer menção ao sangue, à cruz, ao arrependimento, ou sequer ao pecado?

27. Por que se enfatiza tanto a ordem bíblica para pregar a Palavra e se negligencia tanto as ordens para fazer justiça social e alimentar os famintos? Quantas vezes cada uma delas aparece na Bíblia?

28. Por que Deuteronômio 28:13 ("o Senhor te porá por cabeça, e não por cauda") é tão citado, ao passo que I Coríntios 4:11-13 ("somos considerados como o lixo do mundo") ninguém gosta de citar?

29. Por que quem pensa diferente de nós é sempre "inflexível", "fariseu" ou "duro de coração" (quando não chamamos de coisa pior)?


Renato Fontes - renfontes@hotmail.com

Cristianismo em algumas frases - Por Jairo Larroza

As frases a seguir foram extraídas do Blog do Jairo Larroza

“Muito mais do que ser ‘evangélico’, é preciso ser servo. E isso é especial, artesanal, causa dor e leva tempo; não combina com nosso século.”

Jairo Larroza, 04ago2007sab08h38m

“Ser membro de uma igreja não faz de alguém um cristão, da mesma forma que ter um piano não faz de alguém um músico.”
Autor desconhecido

“A marca de um santo não é a perfeição, mas a consagração. Um santo não é um homem sem faltas, mas um homem que se deu sem reservas a Deus.”
Bishop Westcott

“O caminho não é estreito por si mesmo, mas nós o fazemos assim, mediante o insuflar do nosso orgulho – e depois ficamos zangados por não conseguirmos entrar, impacientes com os obstáculos que surgem. Revoltamo-nos ao ponto de fazer ainda mais difícil nossa passagem. Qual é o remédio? Aceitar e beber a desagradável, porém saudável taça da humildade.”
Agostinho, citado pelo Rev. Eliseu de Matos, no boletim da Igreja Presbiteriana de Colorado, Vila Velha, ES, 15jul2007dom

“Não entrar pela porta estreita significa que já nos encontramos no caminho espaçoso.”
Martyn Lloyd, em seu livro Estudos no Sermão do Monte

“O cristianismo começa onde a religião termina – com a ressurreição.”
William Mcfee

“O mundo está farto de homens religiosos que murmuram crenças enlatadas. Deus quer homens reais, homens que creiam em Alguém por Quem estejam dispostos a viver e morrer.”
John Ewers

“O cristianismo é apenas uma coisa bonita na minha vida, ou a própria vida pra mim? Sou coerente, na prática, com aquilo que afirmo ser?”
Autor desconhecido

“A característica peculiar de uma religião como o Cristianismo é representada por uma fé que remove a culpa, através da crença na redenção, no perdão e na graça.”
Dr. Laforgue, psicanalista

“Quando separamos a fé dos fatos históricos, o Cristianismo, despido do seu caráter documental e dos fatos que lhe servem de fundamento, torna-se apenas uma filosofia de vida, uma opção entre outras de igual valor.”
Augustus Nicodemus, teólogo e professor de seminários presbiterianos em São Paulo

“Eu creio que a verdadeira resposta para a crise do mundo contemporâneo está no retorno ao Cristianismo.”
Paul Tournier, 1898-1987, psiquiatra e escritor suíço em seu livro “Medecine de la Personae”, Ed. Neuchatel / Delachaux, 1963

“Quando o Evangelho é pregado, completa e poderosamente, e o Espírito Santo é enviado dos céus, nossas igrejas não apenas retêm os seus, mas ganham outros convertidos; mas, quando desaparece aquilo que constitui a força da Igreja, ou seja, ao ser encoberto o Evangelho e menosprezada a vida de oração, tudo se transforma em mera aparência física e ficção. Por isso, nosso coração fica machucado de tristeza.”
Charles Haddon Spurgeon, pastor inglês, chamado “O Príncipe dos Pregadores”

“Os cristãos não são tão bons quanto a doutrina de Jesus.”
Mahatma Ghandi

“A Bíblia só reconhece um tipo de cristão autêntico: o cristão ativo.”
Rev. Pedro Marques de Vasconcelos, pastor da Igreja Presbiteriana da Glória, Vila Velha, ES, 3dez2000

“Cristão não é o adepto da religião de Cristo. Cristão é aquele que reflete o caráter e a missão de Cristo.”
Pr. Márcio Roberto Vieira Valadão, Igreja Batista da Lagoinha, BH, MG, 21jul2002dom

“A vida do cristão é uma questão pessoal. Uma coisa é afirmar: ‘Cristo é Salvador’; outra, muito diferente, é confessar: ‘Cristo é o meu Salvador’. O diabo pode fazer a primeira declaração. Só o cristão verdadeiro, todavia, poderá fazer a segunda.”
Martinho Lutero, precursor da Reforma Protestante

“Criação no início, redenção no meio e nova criação no fim são três aspectos do Evangelho da salvação que não podem conceber-se separadamente.”
MichaeI Green

“A sua teologia é aquilo que você é quando a conversa cessa e a ação começa.”
Colin Morris

“O cristianismo começa onde a religião termina: com a ressurreição.”
William Mcfee

“Há duas coisas que não podemos fazer sozinhos. Uma é casar. Outra é ser cristão.”
Paul Tournier (1898-1987), psiquiatra e escritor cristão suíço, citado por Cheri Fuller em “Os Horizontes Espirituais da Criança”, Vida, p.191

“O descrente não pergunta: ‘O cristianismo é verdadeiro?’. No geral, ele pergunta: ‘O cristianismo funciona?’”
Lee Strobel em “Como Alcançar os que Evitam Deus e a Igreja”

domingo, 10 de fevereiro de 2008

Definições sobre Heresias

Algumas definições sobre Heresia encontradas via google.

"... define heresia como um “ponto de vista contrário às doutrinas aceitas pela comunidade dos fiéis”. Assim, a missão da apologética cristã é resguardar a integridade das verdades referentes a Deus e a fé bíblica, isto de forma argumentativa, lógica e sistemática..."

“... heresia é escolher o que você quer crer, ou no mínimo, desprezar o restante...” .

"... define heresia sendo a separação de homens dentro de religião por dogmas opiniões que a própria regra não contém..."

"...define heresia como "a negação obstinada ou o questionamento obstinado, depois do recebimento do batismo, de alguma verdade que precisa ser crida com Fé Divina e Católica..."

*todas as definições foram retiradas da Intenet

The Evil look

Pelo contexto pode esta se referindo ao Olhar Mal ou Olhar Sedutor. Enfim, confesso que tentei não rir...

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Conversando com Pastores

Ontem, depois de conversar com pastores, pude confirmar mais uma vez que existem pessoas sérias que se preocupam com a formação de uma Igreja com fundamentos sólidos. Não é só um bando de pessoas que vêem na Igreja uma oportunidade de se projetar com aquela ilusão de criar um mega-igreja ou mesmo um bando de líderes que manipulam a verdade para obter benefícios pessoais.

Existem servos compromissados com a verdade, propondo a missão de difundir o evangelho usando a Igreja como ferramenta de integração na relação com a comunidade. Buscam evangelizar em seus bairros trazendo a imagem da Igreja como referencia de seus testemunhos.

Neste mesmo dialogo, percebi o zelo que ambos tem de caminhar administrando as relações de conflito com verdade e amor. Tbem no esforço de não esconder o cristianismo dos debates intelectuais. Não é uma constatação de uma noite, pois já os conheço algum tempo, mas um atestado pessoal pelo conteúdo de suas argumentações naquilo que visualizam como Igreja.

E por acompanha-los, vejo que não há nenhuma facilidade na sua vida cristã, ao contrário, por se tratar de pastores vejo que as pessoas sempre esperam um comportamento irrepreensível. Por isso no decorrer desta conversa, percebi que as preocupações variam do assunto simples até a resolução de casos terríveis de adultério. Tbem falamos de homossexualismo, prostituição e a pouca acessibilidade da Igreja em receber "pecadores públicos".

Enfim, a conversa acabou e me veio com o conforto que a esperança traz por saber que existe muitos líderes que tem a consciência Cristã e que lutam para manter a Igreja como Instituição Social em suas comunidades. Ficou registrado e muito transparente a intenção em levar a Verdade do Evangelho sem a corrupção dos interesses pessoais e sem a persuasão de argumentos tendenciosos, apenas a pura e simples mensagem das boas novas da Salvação de forma pratica respondendo a existência da própria humanidade.

--
Daniel Moreira

Julgamento Precipitado

domingo, 3 de fevereiro de 2008

Futebol Arte "Marcial"



Veja os 10 erros fatais em uma entrevista de emprego

Consultores dizem o que pega mal na conversa com o entrevistador

Publicado em 25/01/2008 - 12:00

Por Lilian Burgardt

Você já parou para pensar que o seu sucesso numa entrevista de emprego pode depender de alguns detalhes? Uns pequenos, outros nem tanto assim. Às vezes, os erros cometidos pelos candidatos a uma vaga de trabalho são inacreditáveis. Uma roupa mal escolhida, uma frase dita fora de hora... Para ajudar você a ser melhor sucedido nas próximas seleções, o Universia consultou diversos especialistas em recrutamento e seleção que falaram, afinal, o que põe tudo a perder quando você está frente a frente com o entrevistador. Confira os dez erros fatais na entrevista de emprego!

Chegar atrasado
"Chegar atrasado numa entrevista, além de desorganização, demonstra que o candidato não está dando o devido valor à entrevista. A displicência com o horário mostra que você não priorizou tal compromisso em sua agenda. Além disso, fazer uma pessoa esperar é falta de respeito. Tempo é um recurso escasso, logo, deve ser bem aproveitado. Caso você, por algum motivo, atrase na entrevista, informe imediatamente o entrevistador. Verifique se é possível passar um candidato na sua frente, ou, se necessário, remarque a entrevista. Se você chegou no horário, mas tem compromisso para mais tarde o ideal é avisar o entrevistador de antemão. Não faça a entrevista na correria para não se sentir pressionado. Isso pode prejudicar seu desempenho."

Wander Mendes, professor e consultor na área de Gestão de Pessoas e Planejamento Estratégico da FGV-PR (Fundação Getúlio Vargas do Paraná).

Usar roupas informais demais
"Hoje em dia, os jovens são muito despojados. Na faculdade, não há nada de mal nisso. Agora, para a entrevista de emprego, não custa melhorar um pouco o visual. Isso não quer dizer que todo candidato a estágio ou jovem recém-formado deva vestir terno e gravata ou, no caso das meninas, tailer e scarpin. É preciso saber escolher a roupa e adequar o vestuário a cada tipo de empresa. Uma agência de publicidade, por exemplo, permite um visual mais informal. Agora, se a entrevista é para uma instituição financeira, é óbvio que o candidato terá de seguir a regra básica: esporte fino. Lembre-se: o que deve prender a atenção do entrevistador é o seu conteúdo e não a 'embalagem', portanto, jamais vá para a entrevista de chinelo, regata, roupa decotada, barriga aparecendo, saia curta ou short."

Marisa Silva, consultora de Recursos Humanos da Career Center

Não saber nada sobre a empresa ou o setor
"É muito comum que os candidatos partam para a entrevista de emprego sem saber sobre a empresa em questão ou sobre o setor em que ela está inserida, quando na verdade, ele deveria estar munido do maior número de informações possível. Se a empresa de recrutamento não divulgar qual é a companhia que está em busca de candidatos, ela deverá, ao menos, informar sobre o setor. Tem mais chance de sucesso o candidato que sabe se posicionar na entrevista porque domina o assunto trabalho, em detrimento daquele que não se deu ao trabalho de pesquisar mais sobre a empresa em questão. Sempre repito isso para meus alunos: informação nunca é demais."

Jaqueline Mascarenhas, consultora de carreira do Ibmec Minas Gerais

Expressar-se mal, com gírias e frases sem sentido
"O discurso mais adequado para uma entrevista é aquele em que o candidato consegue ser objetivo, responder as perguntas do entrevistador, expor seu ponto de vista quando é convidado a fazer isso e perguntar, com tato, detalhes sobre a vaga. No meio do caminho, porém, é muito comum que os candidatos façam uso de gírias e regionalismos na hora de tirar suas dúvidas. O linguajar é um detalhe importante, dependendo das expressões utilizadas, o discurso demonstra certa imaturidade do candidato. O ideal é responder as perguntas com calma, ter tempo para pensar e expor suas idéias com tranqüilidade. Este, aliás, é outro problema grave de muitos discursos. Tem candidato que fica tão nervoso na hora da entrevista que dispara a falar e quando percebe já mudou de assunto e não respondeu a pergunta do entrevistador. Isso é muito ruim, já que o ritmo da entrevista é um fator importante."

Marco Túlio Rodrigues Costa, professor de Aspectos Comportamentais Éticos de Gestão de Pessoas da FGV-BH (Fundação Getúlio Vargas de Belo Horizonte)

Mentir sobre suas qualificações
"Mentir na entrevista é o mesmo que dar corda para se enforcar. Inventar cursos, referências e pequenos sucessos colocam o candidato numa situação vulnerável porque, caso seja contratado, terá de sustentar essa inverdade por muito tempo. E como diz o ditado: mentira tem perna curta, hora ou outra seu deslize será descoberto. Aí o prejuízo será bem maior. Uma vez que seu superior descobrir que você não tem as habilidades destacadas na entrevista, perceberá que seu perfil não atende às necessidades da empresa, e mais, que errou ao apostar em sua seleção. Ao ser contratado, o indivíduo precisa ter claro que convenceu o recrutador de possuir determinadas competências. Ao mentir, não só estará provando que não as tem como atestará sua falta de caráter ao faltar com a verdade. Isso deixará o recrutador descontente duas vezes e poderá resultar em demissão comprometendo, inclusive, futuras recomendações."

Gustavo G. Boog, diretor da Boog Consultoria

Falar mal do emprego ou do chefe anterior
"Mesmo que esteja com raiva da empresa ou do chefe antigo, jamais fale mal deles na entrevista de emprego. Essa atitude é vista com maus olhos por 99,9% dos recrutadores. Na entrevista de emprego, o recrutador não está interessado em ficar por dentro de 'pendengas' cujas pessoas e razões ele simplesmente desconhece. Seu objetivo é investigar de que maneira seu perfil profissional e suas qualificações poderão ser úteis para a empresa. Caso você vá logo partindo para o discurso de que estava infeliz no emprego anterior porque seu chefe o perseguia, além de desviar o foco da entrevista, estará levantando questões que podem levar o recrutador a repensar sua contratação. Afinal, numa situação de conflito, é preciso avaliar a parcela de culpa de ambas as partes. Além disso, falar mal da empresa ou do antigo chefe revela uma postura antiética de sua parte, pois se tratam de segredos e detalhes de um negócio do qual você não faz mais parte. Mas, atenção: isso não quer dizer que você deva mentir, e sim, contornar a situação. Uma boa saída é dizer que saiu da empresa por estar em busca de novos desafios profissionais."

Maria Bernadete Pupo, gerente de Recursos Humanos da Unifeo e professora da FAC FITO

Disputar espaço com o entrevistador
"Para disfarçar o nervosismo, tem muita gente que acaba partindo para o ataque e disputando espaço com o recrutador durante a entrevista. Para driblar a insegurança, ele acaba querendo fazer pose de sabido a fim de triunfar sobre o recrutador. Isso tudo, porém, é muito mais que previsível para quem trabalha com Recursos Humanos. Aí, das duas uma: ou você perde a vaga porque o recrutador percebe sua insegurança por meio de uma postura imatura de quem está na defensiva, ou acaba sendo eliminado pela prepotência e o excesso de arrogância que esse comportamento demonstra. Por isso, não entre numa disputa direta com o recrutador. Espere, escute e, aí sim, faça suas considerações, sempre com humildade."

Mariá Giuliese, diretora-executiva da Lens Minarelli e especialista em análise e aconselhamento de carreira

Vangloriar-se de suas conquistas pessoais
"Na hora de 'vender seu peixe' ponha o ego de lado e não em primeiro lugar. O discurso não pode estar recheado de "eu fiz"; "eu consegui"; "eu conquistei"; e "eu realizei". Quando você coloca todas as conquistas em primeira pessoa pode soar presunçoso para o entrevistador. Até porque, na maior parte das empresas, os projetos e as realizações não são fruto do trabalho individual, mas sim, de uma equipe. Na hora de destacar seus feitos, procure valorizar sua participação em um projeto de sucesso implementado por uma equipe, e a partir disso, destaque como foi sua atuação para que ele fosse bem-sucedido. Lembre-se: egocentrismo não é uma característica admirada pelos contratantes. Para não cair nessa, vale treinar na frente do espelho. Olho no olho, com segurança no discurso. Um pouco de bom humor também ajuda. Existe uma tese que diz: quando você sorri, se desarma internamente e se torna mais receptivo."

Irene Ferreira Azevedo, professora de Liderança da BBS (Brazilian Business School)

Não perguntar nada durante a entrevista
"Não é porque você está fazendo uma entrevista que sua participação na conversa deve se limitar a responder o que o entrevistador pergunta. Por timidez ou insegurança, muita gente sai com dúvida da entrevista e isso é ruim. Caso o recrutador não mencione, é sua obrigação perguntar detalhes sobre a rotina de trabalho e benefícios. Porém, isso não significa que você deve incorporar o perguntador chato. Caso a explicação sobre a vaga não tenha sido suficiente para esclarecer suas dúvidas, pergunte com bastante delicadeza novamente: 'Desculpe-me, não ficou muito claro para mim'. Agora, se mesmo assim restarem dúvidas, deixe para outra ocasião. Perguntar sobre o salário não é uma coisa ruim, desde que você não se preocupe só em saber quanto será a remuneração. Procure se informar sobre outros detalhes para não mostrar que está interessado só no dinheiro."

Cristiane Cortez, consultora de carreira do IBTA Carreiras

Demonstrar desequilíbrio emocional
"Não é segredo para ninguém que o nervosismo pode atrapalhar, e muito, nos momentos decisivos. Na entrevista de emprego não poderia ser diferente. O candidato pode até ter o perfil ideal para a vaga, mas se deixar a tensão dominá-lo no momento em que precisa deixar claro suas qualificações, sua chance pode ir por água abaixo. O desequilíbrio emocional demonstrado pela insegurança e o nervosismo pode dizer ao recrutador que você não está pronto para assumir uma grande responsabilidade. Por isso, evite cometer erros como: levar um acompanhante para esperá-lo após a entrevista, inflar seu discurso com comentários negativos ou colocar-se em uma posição de vítima frente adversidades. Se você tem um bom currículo e suas características correspondem ao perfil da vaga, não há motivo para se preocupar."

Priscila Lara, consultora de Recursos Humanos do Grupo Foco

ALVIN SLAUGHTER - WHEN WE ALL GET TO HEAVEN

Musica contagiante na voz de ALVIN SLAUGHTER.

Líder

Definindo:
Líder é o representante de um grupo ou de uma corrente de opinião. Aquele que lidera um grupo de seguidores em prol de um alvo ou objetivo. Pessoa que concentra as decisões e a direção de algo.

Quando nos referimos aos líderes, pensamos logo na capacidade organizativa, na credibilidade que merece quem está à frente de um grupo e nos valores que encarna e atraem os que seguem o líder com estima e admiração. É certo que isto vale para todos que exercem esta missão. (extraído do site Missão Jovem )



Aprimorando:

No conceito cristão, usaremos a Cristo como líder prático para representar nossos conceitos. A principio entendemos a vinda de Jesus como ponto de partida como referencial para liderança. Afinal, Ele provou que se necessário, o líder deixa sua posição para servir a outros ou mesmo ensinar os seus servos como servir. Jesus se despiu de sua Glória e na terra habitou como homem. Foi submisso, cresceu em graça e conhecimento, aguardando com paciência o tempo da Obra dele na Terra. Ele deixou claro, que não se é líder por ter status ou mesmo por ser superior, afinal Ele se esvaziou de sua glória para servir. Sim provou que o tempo faz parte da preparação ministerial, que é relevante conhecer a palavra para discernir as situações. No caso de Jesus, Ele foi líder tendo com uma das suas maiores características a sua capacidade de servir a humanidade com as coisas que vem de Deus. Jesus é exemplo vivo de liderança, porque Ele nos deu o exemplo normativo de como fazer. Ou seja, Ele fez primeiro. Obs. Ficou claro na conduta de Jesus que ele quis influenciar as pessoas para que alcançassem o propósito eterno, mas a aqueles que andavam perto Dele, ou seja os discípulos que compunha parte de sua liderança, Ele treinava para que ele continuassem com o seu legado.

Reafirmando
Um aspecto primordial de liderança é o discipulado, mostrado por Jesus e ilustrado bem no exemplo de Paulo que segue abaixo:
"Paulo aconselha a seu filho na fé é desenvolver o que ele ensinou, o que evidencia as marcas do verdadeiro líder cristão em potencial, cap 1 v. 18 "Este é o dever que te encarrego, ó filho Timóteo... v 9 mantendo fé e a boa consciência, por quanto alguns, tendo rejeitado a boa consciência, vieram a naufragar na fé. No cap. 3 v. 9 diz Conservando o ministério da fé com a consciência limpa". (extraído do site da Jocum)

O discipulado é o ensinamento necessário onde o aspirante aprende os fundamentos na ordem teórica e pratica. Depois de feito, ele continua o legado sendo fiel aos seus princípios.

Sabendo da postura do Mestre podemos começar a desenhar um esboço do líder preparado e capaz, que saiba discernir o tempo e a hora de cumprir o mandato por parte de Deus. Estar disposto a se enquadrar nos princípios espirituais e doutrinários estipulados por Jesus, para que obra seja feito segunda a vontade do pai é a um dos pré-requisitos para começarmos a entender.

Começando:
1 Timóteo 3:1-10 - Fica claro que de acordo com a vontade de Deus qualquer pessoa que deseja ser líder, precisa necessariamente ter testemunho prático de Principios Bíblicos. O livro mostra que por traz das doutrinas, há um critério rigido e seletivo para ser observardo pelo aspirante a Lider.

(3.2) - É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, temperante, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro, apto para ensinar; - Neste texto há diversas exigências, como ser equilibrado e de bom senso. Pessoa que não se inclina as tendências. Pessoa pacifica, que não se inclina a confusão ou propaga a confusão. Disposta a abrigar necessitados por caridade. Também preparado para ensinar o seus liderados. Mas o principal ponto se refere a testemunho, ou seja, ser irrepreensível. Ou seja que não merece irrepreensão, perfeito.

(3.3,4) - não dado ao vinho, não espancador, mas moderado, inimigo de contendas, não ganancioso; que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com todo o respeito (pois, se alguém não sabe governar a sua própria casa, como cuidará da igreja de Deus?); Fica claro como uma das exigências é a sobriedade e autoridade adquirida pelo exemplo de conduta e discernimento das situações, de evitar a embriaguez, de evitar brigas e contendas. Autoridade exercida pelo exemplo e não pela potencia de voz ou altivez. Tambem fica claro que a ambição exagerada corrompe os valores do coração de alguém. Que seja um homem caracteristicamente presente no contexto familiar que mantém o controle de sua casa e o respeito de sua família. Por muito tempo se adquiriu uma idéia de que a mulher, apenas a mulher, era quem cuidava da casa. De uma certa forma pregadores propagavam uma idéia de que a mulher era maior responsável pelo contexto familiar no que diz respeito a criação do filho. Mas de acordo com a palavra, Paulo ensina ao homem para que o mesmo esteja presente em todo contexto familiar adquirindo e administrando o respeito de toda a família. Admoesta tbem que aspirante não seja principiante, para que não se ensoberbeça e venha cair na condenação do diabo. Timóteo 3:6 mostra que a falta de experiência na fé precisa ser um critério cuidadoso que precisamos manter. Os "cristãos novos" de pouca experiência tem pouca comprovação necessitando de uma maior tempo sendo provado na fé.

(3.7) - Também é necessário que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em opróbrio, e no laço do Diabo. Nesta passagem Paulo fala sobre o testemunho como exigência para aqueles que não conhecem a Jesus. Na verdade cria se um critério importante que nos leva a refletir sobre a liderança atual das nossas igrejas. Ao olharmos para as características ensinadas por Paulo, vamos perceber o quão criterioso e custoso é ser líder. Demanda tempo, cuidados, sobriedade e disposição.

Se alguém não estiver preparado para pagar um preço, maior do que seus contemporâneos e colegas estejam dispostos a pagar, não haverá aspirar à liderança no trabalho de Deus. Não importa quanto tempo a gente leva para compreender isso, Deus é paciente, mas nunca indolente (desleixado, descuidado), para essa exigência. A verdadeira liderança exige custo elevado, a ser cobrado do líder e, quanto mais eficiente a liderança, maior o custo (Ne.2:19; 6:1-4; Mc.10:38). (extraído do estudo Liderança Espiritual)

Continuando:
As instruções produzidas por Paulo nada mais é que um esclarecimento ilustrativo do que foi a vida de Jesus. Ele cumpriu todas estas situações. Jesus foi perfeito. Ele ensinou submissão, liderança, serviço como servo, postura, sabedoria - o tempo todo. Sua conduta e seu modo de agir mostrou-nos o elevado custo de renuncia que um servo tem que se submeter. Ele é a referencia perfeita, e assim como Paulo nos ensinou, devemos ser imitadores de Cristo.

Cristo soube se posicionar como homem sem esquecer do seu chamado e sua função ministerial. Fazendo menção sobre a conduta de um aspirante a líder, Jesus mostrou que além de se posicionar como servo e se dispor ao critério, antes de realizar a obra ele foi uma pessoa útil. Antes de mesmo de começar o seu chamado especifico, ele se apresenta como servo fiel e útil na sua casa. A experiência de Cristo basicamente é um estagio de fé onde a prática da vida cristã é assistida, e se for provado e aprovado, ele servirá.

É perceptivo nestas observações que capacitação Cristã não é apenas um curso ou seminário. É uma vida prática, observando e seguindo os exemplos do Mestre. A preparação não é apenas conhecimento teológico, mas a disposição, testemunho, sobriedade, autoridade, discernimento, equilíbrio, moralidade, organizado, inimigo da contenda, marido e pai presente.

"Corremos um risco muito grande quando desprezamos esses valores por apenas uma formação acadêmica que tem em seu currículo formado por matérias cada vês mais vazias dos princípios de vida cristã, o que faz com que haja um vazio de valores vividos nas lideranças cristãs, nos escândalos que aparecem em vários âmbitos da sociedade, pois o evangelho do engano tem falsificado as marcas de quem poderia ser líder, Pastor, Diácono, Presbítero, missionário etc. vivemos a crise do exemplo e da prática, é a síndrome de Macunaíma, o filme inspirado no livro de Mário de Andrade, o herói sem caráter, o líder carismático sem moral. Por isso admiro muito Paulo que foi Apóstolo porque tinha marcas da prática cristã em sua vida. O seu evangelho não maquia nenhuma situação, ele diz nessa carta que Timóteo tenha cuidado com esses falsos líderes que têm pregado um evangelho fácil, sem implicações com a morte do egoísmo. Por último o líder ele não visa o lucro, mas o chamado. Cap. 6.5 diz "... por homens cuja mente é pervertida e privados da verdade, supondo que a piedade é fonte de lucro"." (extraído do site da Jocum)

Como ja explanamos nos textos acimas, cabe ao líder ter a sua motivação esquadrinhada e sua capacitação comprovada, enquadrando no perfil das características lideracionais que Paulo ensinou. Características especificas voltadas a prática, onde a valorização do comportamento é fundamental e prioritário na escolha de um líder. Na verdade é deste ponto que mostramos o quanto a nossa motivação é carnal e egoísta. As nossas vaidades em muitos momentos é o que nos motiva. Status, motivação errada, a vaidade, tudo isto esta muito próximo de qualquer líder em potencial. Por muitas situações, nossas orações e escolhas parecem certas porque visualizamos de um ponto de vista onde acreditamos que é correto, mas a verdade é que nosso coração esta corrompido pelo desejo de crescer e obter sucesso na vida pessoal. E por isso todas as nossas ações são justificadas pelo falso desejo de crescer em Cristo, e não pelo desejo de entrega e mudança de vida plena. Não queremos apenas ser servo, mas sim ser super crentes com várias qualidades e com um ministério de sucesso. Existe uma vontade de realização subentendida em nossos corações e creditamos isso a um desejo vaidoso de crescer em Cristo. Geralmente quando viemos do mundo ainda existe muitos resquícios das vaidades. Nossos desejos, nossos idealismos, nossas opiniões e nossas motivações ainda estão vivos. Todos os dias de manha acordamos com eles, todos sentimentos, vontades, etc; ´Nesse ponto que precisamos ser sondados e praticarmos um auto-exame de nossas motivações. Devemos lembrar do compromisso de renuncia que fizemos com o Senhor. Renunciamos a nossa vontade para vivermos a vontade Dele, Jesus. E para vivermos a vida Dele em nós, precisamos lembrar que ele se esvaziou de sua glória e na terra habitou como homem, se humilhando a forma de Servo. Refletindo: Por acaso somos maior do que próprio Deus que abriu mão da sua glória para ser entregar?

Concluindo
Nessa situação se diferencia os verdadeiros lideres cristãos, pois sua liderança não se basea na vaidade ou no sucesso pessoal, mas todo seu embasamento se encontra nos exemplos de Jesus e no sucesso da missão do próprio Deus.

Que a mensagem possa gerar frutos e assim examinar o coração para entender se a motivação e ou mesmo se intenção é a correta para tornar líder. Existe um critério valioso que precisar ser mais repensado e usado em nossas igrejas. Liderança é algo sério que precisa mudar toda essa nação elevando os padrões morais e responsáveis.
"Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvará tanto a ti mesmo quanto aos teus ouvintes".

--
Daniel Moreira

Projeto Adoradores

Navegando pela Net naquela velha proposta de achar algo novo e interessante para postar ou mesmo indicar alguém. Deparei com site do Projeto Adoradores do Pastor Sostenes, um servo do Senhor. Para quem não o conhece, ele era da Igreja Batista Getsemani e ja algum tempo abriu uma Igreja no bairro Funcionários, Projeto Adoradores. Além de Pastor, ele ficou conhecido por ser músico e ministro de louvor na Getsemani, onde gravou CDs. Particularmente, musicas abençoadoras e uma visão que tem revolucionado o meio Cristão. Ele disponibilizou todos seus CDs gratuitamente no site, ou seja, CDs de Musicas lindas, CDs de Ministrações, estudos e Palestras com Asaph Borba e outros.

Abaixo segue o link:

http://www.projetoadoradores.org.br/

sábado, 2 de fevereiro de 2008

Marginalizando a Palavra Prosperidade

Estes dias estive fazendo um auto-exame de consciencia percebi que de certa forma estou marginalizando a palavra prosperidade. Não sei se é resultado do saturado assunto, porém pertinente, sobre a Teologia da Prosperidade. Por isso nesta madrugada de Sabado para Domingo, aproveitei para trazer uma pequena reflexão de que a prosperidade é termo que....

zzzzz..... zzzzzz.... zzzzz..... zzzzzz....

Ops!! Desculpe!! Vou dormir!!

Daniel's Entrevista Blogueiros

Com muito prazer e zelo que este blog irá apresentar um novo quadro semanal onde vc poderá curtir entrevistas com blogueiros. A blogosfera Cristã cresce a passos largos e aproveitando o aquecimento desta ferramenta virtual, trarei perguntas sobre alguns pontos que podem esclarescer.

A proposta é dar espaço a cada blogueiro contando um pouco dos seus testemunhos pessoais, assuntos polemicos, visão e outras coisas mais. Espero corresponder as expectativas!

Um abraço a todos.

Teologia da Prosperidade

Vídeo onde Edir Macedo explica em que se basea sua "Teologia da Prosperidade"