quarta-feira, 25 de julho de 2012

Raiz do Mal


Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim; João 14:30

E também já está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não dá bom fruto, corta-se e lança-se no fogo. Lucas 3:9

Este capítulo 3 de Lucas dá uma demonstração porque João foi apontado por Jesus em Matheus 11 como o maior profeta que existiu até a sua vinda. A Bíblia não relata sinais e prodígios feitos por João Batista. Nem mesmo a sua história ganhou um livro na própria bíblia como outros profetas ganharam. Mas, a favor de João está o anuncio do caminho do Salvador numa dimensão muito profunda, ao ponto das Escrituras fazer menção do endireitamento das veredas. Em resumo poderíamos descrever que:
  • Pregação sobre arrependimento para remissão dos pecados.
  • O Batismo é uma espécie de selo da morte de uma velha vida que começa em uma transformação de convicção interna
  • O diagnóstico Espiritual de que aquela geração é uma geração de víboras. Ele sabia que maldade estava dominando o mundo e principalmente aquele tempo sobre Israel. Existem alguns estudiosos que dão entender que o título que João deu a geração era um pouco pior, era filho de víboras. Filho da Perversidade. O perverso é comparado com belial, com o próprio inimigo.
  • Pregou que a única forma de fugir da ira vindoura era através do arrependimento.
  • Ensinou que frutos dignos de arrependimento começam na destruição da raiz do mal. Porque se raiz é má não tem como a árvore ser boa. Não são as atitudes em si que era o problema dos homens, mas é a raiz das árvores. Ou seja, o coração que traz condenação. O que compromete o homem não são as suas obras más, antes a sua natureza pecaminosa.

Por machado a raiz ensina sobre o tipo de luta que travamos contra o mal. Muitas vezes lutamos contra atitudes de pessoas se opondo a elas e não ao mal por trás delas. Opor-se a pessoas é atuar contra o tronco. Precisamos elevar a luta para a raiz do mal e assim lutarmos nesta esfera. Não lutamos contra pessoas, mas contra o mal que influência as pessoas.

Jesus ao dizer que príncipe deste mundo vinha e que o inimigo não tinha nada Nele, estava indicando uma iminente luta que ele travaria contra as potestades. Estava ao ponto do corte com o machado na raiz e ampliando a nossa visão sobre que tipo de guerra nós devemos travar.

"O Príncipe deste mundo" é dito em referência ao mundo atual que jaz na malignidade e também pelo resultado da opção humana pelo pecado. O diabo vinha para cumprir impondo sua vontade sobre Jesus, não porque em Jesus havia erro ou brecha, mas porque em seu redor havia pessoas ainda endividadas e escravizadas pelo pecado. O posseiro tinha direito de posse.

Tenha em mente que Jesus iria morrer porque fazia parte do plano, porém amplie a visão de que era a oportunidade de Satanás de fazê-lo sofrer. A única vez que o inimigo teve a chance de fazer Deus sofrer. Isto é muito forte, pois Deus sabia que havia um escrito de dívida que precisava ser pago.

A raiz do mal é o que dá direito ao inimigo de se apossar e escravizar. A fala de Jesus que diz que o tentador "não tem nada para achar Nele”, mostra que Satanás não tem nenhum poder legítimo contra Jesus, a respeito disto devemos lembrar que todas as tentações que o inimigo tentou foram vencidas. Jesus como Salvador chegou à raiz, mas para cortar o mal pela raiz é necessário o pagamento do preço.

Finalmente atente-se para fala de João de que já está posto o machado. Jesus é a convicção de João. Ele enxerga ação no presente. O que prova a profundidade da visão de João. Não apenas isso, João é usado por Deus para inauguração de um movimento e avivamento espiritual como o arrependimento e o batismo. João estava certo que Jesus traria a libertação profunda que este mundo precisava. João de fato era o profeta que endireita as veredas, afinal sua visão de mundo desperta em nós o ensinamento de que Jesus é a total solução para extirpar o mal da humanidade. João aponta para Jesus como solução e esta é vantagem Dele em relação aos outros profetas.

Faça como João, diagnostique o mal. Faça como Jesus, aja na raiz.

Nenhum comentário: