terça-feira, 26 de junho de 2012

Perdão


Uma coletânea resumida de pensamentos sobre Perdão extraídos de textos do Ariovaldo Ramos e do Livro Fundamentos da Teologia Cristã:
  • Perdoar de antemão imita a Deus. Deus em sua Presciência (Conhecimento de antemão) soube que quando criasse o homem o mesmo pecaria, portanto o primeiro ato de Deus foi perdoar.
  • Em um nível mais intenso, o Espírito do Perdão é uma referência do que é ser a imagem e semelhança. A história do mau servo que teve a dívida perdoada pelo seu senhor e não perdoou a dívida de seus colegas. Deixar de perdoar desagrada a Deus e de certa forma mostra o não entendimento da própria Graça de Deus.
  • Pedir perdão adora a Deus. É reconhecer que eu, homem, estou errado e Deus está certo.
  • Pedi perdão é um princípio. O argumento contido na parte referente ao perdão na Oração dominical, mostra que devemos estar praticando o ato de perdoar para sermos perdoados. "Perdoa-nos assim como temos praticado o perdão com os nossos ofensores"
  • O perdão não é automático, pelo contrário, o perdão é precedido pela condição do arrependimento em Jesus. É preciso um ato de acordo com que Deus propôs.
  • Toda a "atmosfera" que envolve perdoar e ser perdoado pode estar ligado a cura da alma. Basta lembrar-se do Salmo 32 e da palavra utilizada no encontro de Jesus com o paralítico. “Meu filho perdoados te são os teus pecados"
  • O perdão além de restaurar o relacionamento, ele tem o poder de intensificá-lo. Lembre da história do filho pródigo.
  • Perdão custa caro a quem perdoa. Basta lembra que pra Deus custou a vida do seu filho Unigênito
Em João 4, o Perdão de Deus mostrou uma capacidade de transformar alguém inferiorizada por seu mulher numa cultura patriarcal, discriminada por fazer parte de uma comunidade mal vista historicamente e marginalizada pelo seus atos em uma missionária. Tudo isto através do perdão.

Nenhum comentário: