segunda-feira, 18 de junho de 2012

A imortalidade


"A Bíblia é uma janela na prisão deste mundo, através da qual podemos olhar para a eternidade"  - Timothy Dwight

Quando o momento presente é estranho, incerto e desencorajador, existe sempre uma esperança no coração dos filhos de Deus, justamente porque sempre temos uma saída indicada pela Palavra de Deus. A bíblia lida com esperança assertiva, que permite que o inominável se apresente aos homens com um nome, Jesus. Jesus é a nossa esperança porque Ele sempre será a nossa saída. Não há impossibilidade para Deus, trevas tornam-se luz, morte vira vida.

Isto ensina a respeito da visão plena das coisas. Olhar com a ótica de Deus para ter a expectativa naquilo que realmente importa. Esta visão gera esperança porque ela nos diz que o Deus que agiu no passado é o Deus que pode agir no hoje. Afinal, Hb 13:8 diz assim "Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente." Impossível olhar para este texto sem refletir sobre o passado, ou sobre o presente ou mesmo sobre o futuro. O texto está dizendo que o mistério do tempo não se aplica a Deus, e mais, o mistério do tempo submete ao querer Dele. Deus domina e sujeita o tempo.

Olhando mais intensamente, em Jeremias que diz assim: "Eis que dias vêm, diz o SENHOR, em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá." Esta profecia é futura ao dizer "vem dias", e dentro deste contexto sobre o "tempo" de Deus, me faz pensar muitas coisas.

Por exemplo: No passado, Deus prometeu que faria uma Nova Aliança, e nos dias atuais desfrutamos disto. Isto deixou de ser uma promessa para ser um fato do qual desfrutamos. Faz-me pensar que Deus é único com esta capacidade de não ver limites de espaço e tempo. Penso assim: Quer ter um futuro? Fale com Quem já está lá.

Por outro lado, quem não se lembra de algum momento que passou? Algum momento que traz aquele sentimento gostoso no coração de saudade? Por exemplo: Fotos, perfumes e historias têm este poder de nos remeter a lembranças. Algumas lembranças são boas outras nem tanto. Acredito que muitos devem até pensar: No meu tempo é que era bom! Possivelmente isto é verdade. Muitas coisas que vivemos no passado, possivelmente será aquilo que de melhor já vivemos na ótica humana. Não é um erro pensar assim. Entretanto, não é um erro pensar assim se você não tem "Visão Plena".

Nossa vida humana é passageira e sempre terão momentos que serão marcantes. Porém, devo frisar que nunca será o melhor da vida, até pelo conceito de vida para os cristãos. Vida no modo de Deus é abundante, sempre com novidade e o principal, é vida eterna. O melhor sempre pertence ao Senhor e pelo plano da redenção, o melhor ainda está por vir.

Não apenas isso. A Bíblia indica sempre para deixarmos o passado e irmos para o futuro. Eu vejo nisso como uma força motivacional de fé para continuarmos. O passado é fundamental para o futuro. O que se planta no ontem colherá no hoje. O que se planta agora, lembrando que hoje é passado do futuro, colherá no amanhã. E somos resultado disto.

Acrescento a idéia de que precisamos discernir que fundamental é diferente de essencial. Fundamental tem o poder de influenciar, essencial tem o poder de determinar. No conceito cristão do que é essencial, posso resumir em uma palavra: Jesus. O único que pode intervir no passado e nos libertar de suas conseqüências.

Havia um "morto" chamado Lázaro que jazia morto a quatro dias. Apesar da descrença daqueles que estiveram presentes, Jesus mostrou que é o Senhor da vida e do tempo. Palavras de Jesus: "Aquele que crer em mim ainda que esteja morto ressuscitará." Morto é oposto de vivo. Morto é um estado que implica passado. Vivo implica presente. Na história o morto ficou vivo. O passado virou presente. Lazaro ficou ex-morto. Em qual outro lugar isto acontece?

Soa como redundante dizer que o passado passou e o que passou não volta mais. É elementar. Sabe por quê? Porque o passado está limitado ao tempo e o tempo não permite. O tempo é implacável e sempre tem como objetivo o amanhã. Por isso pondero que ficar remoendo o que passou é desacreditar que Deus pode construir algo melhor. É viver sobre às cinzas da conversão. Ou seja, já queimou, hoje não queima mais. Precisa de nova lenha.

Agora quando o passado se torna um grande problema da nossa vida, ainda que ele tenha sido bom, eu recomendo conversar com Deus. Ficar preso ao passado é deixar de Crer que Deus é infinito em fazer abundantemente além. Ou seja, tudo que pensamos, vivemos ou presenciamos, Deus pode fazer mais. É especialidade de quem é ilimitado em poder e infinito em saber. Seus atributos estão vinculados a Ele e confirmam para nós a fé de que sempre existirão boas razões para seguirmos em frente. Ter expectativa no Senhor Jesus é olhar pra frente.

Não podemos confundir a respeito de quem servimos. Uma coisa é conversar com tempo, outra coisa é conversar com o Senhor do tempo, Deus. Deus não se limita. Ontem, hoje e amanhã para Ele mesmo são.


Igualmente percebo que ficar preso pode significar acomodação. Paulo viveu enormes experiências como Naufrágio, abismos, perseguições, apedrejamentos, etc. Se existiam duas pessoas que poderiam ficar acomodadas são Jesus e Paulo, entretanto, vemos que nenhum e nem outro acomodaram ou mesmo aceitaram qualquer sugestão para acomodarem. É forte isso!

Crer no evangelho de Jesus requer a compreensão de que o nosso passado sempre ficará para trás, ainda que passado seja de boas atitudes e obras. Paulo disse que não julgava ter alcançado, mas uma coisa ele fazia: Deixava as coisas que para trás ficam e prosseguia em rumo à soberana vocação. Ele está dizendo que têm uma vocação que é suprema, maior do que qualquer outra e que gera a força da continuidade. A bíblia diz para andarmos dignos da vocação que somos chamados. Andar digno é minimamente responder a altura da responsabilidade delegada.

Advirto que saudosismo de lamentação é típico de quem está preso na "Babilônia" desta vida. Viver olhando para o passado e ficar remoendo o tempo que passou, pode significar a falta de crença de que Deus tem reservado momentos muito maiores do que seus olhos podem crer. Particularmente, creio que é imaturidade olhar para o momento do nosso passado como algo que você possivelmente não poderá mais viver. Para aqueles que são pais, acho injusto inclusive com o filho. É não ter esperança que haverá um mundo melhor.

Percebo e insisto na reflexão que sempre existirá um advento novo, uma novidade de vida para ser vivida. E se é novidade, significa que não é velho. Odres velhos contêm velhos vinho. Odres novos contêm vinhos novos. Deus tem coisas novas, mas é preciso trocar os odres.

Pense: Ainda que vivenciassem um tempo de crise, que estejamos próximos do tempo do fim e que todo presente que vivenciamos seja inferior ao passado, o futuro pela ótica bíblica sempre será melhor. Este é um paradoxo santo.

Foi no passado que Cristo se revelou, porém é no futuro que Ele consumará o seu reinado. Na vida do cristão, tudo que éramos não se compara com que somos e nem se compara com futuro de Glória que virá. A bíblia faz questão de garantir esta idéia ao dizer que nem olhos viram, nem ouvidos ouviram o que Deus preparou para nós. Ou seja, tem sempre algo melhor por vir.

Viver a vida eterna que Jesus nos agraciou é ato que descreve o presente, é ser contínuo na busca desta soberana vocação. E como diria Paulo: Viver no presente é Cristo, morrer é lucro. O lucro concretiza o ganho da vida eterna.

Por causa de Jesus, somos os mortais mais imortais que eu conheço.

Glória a Deus.

Nenhum comentário: