quinta-feira, 1 de março de 2012

A Procura da Felicidade

O que seria felicidade?

Cada pessoa por si mesma tem a sua forma de definir a felicidade. Definem de acordo com os seus objetivos pessoais. Somos seres com a mesma condição de igualdade, ou seja, seres humanos, entretanto, totalmente diferentes no que tange a igualdade de condição. Somos diferentes, temos gostos diferentes e estabelecemos alvos diferentes.

Somos seres com condições diferentes uns dos outros por consequência de "n" fatores. Sejam ambientais, culturais, sociológicos, políticos, religiosos e sabe se lá quantas variáveis existem que nos influencia direta e indiretamente. Entretanto, se cada qual é um molde pelos fatores complexos deste mundo, os alvos para felicidade serão sempre diferentes e por muitas vezes conflituosos. E fácil perceber que para chegar onde quer e ter que enfrentar as diferenças da vida, nem todos tomarão o mesmo meio para se conduzir. Enfim este prelúdio é um resumo e um devaneio do que vida é.

Acredito que para estes que definem a felicidade por si mesma, o objeto de felicidade é algo que sempre estarão buscando. E não apenas isso, se dependemos de fatores externos para sermos realizadamente felizes, estamos deixando a cargo do acaso e das oscilações da vida o resultado. Não temos o controle de nada que é externo. Sabe qual o resultado disso? Inconstância e incerteza. O estado inconstante pode ser um pouco melhor compreendido em tiago 1:8 diz "O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos." O texto sugere que o coração que revela diferentes sentimentos, e por isso não é único, também não será constante.

Observe também que se a felicidade está condicionada a aquisição bens, como farão quando estes bens acabarem? Afinal, aponte algum valor nesta vida que não deteriore e que não acabe. Nada que tem caráter externo dure mais que sua vida útil. E pior, não sabemos medir a vida útil de nada que realmente importa. Ainda que o amor de nossas famílias seja o bem humano mais durável que exista, um dia eles também acabarão. Nós mesmos acabaremos um dia. Ninguém pode acrescentar um minuto a mais em sua vida.

Adiciono a reflexão de que a felicidade só tem sentido enquanto vivermos. Depois que morremos, não há razão de buscarmos os alvos que propomos em vida. 

Abrindo um pouco mais a nossa pesquisa, vamos refletir sobre duas definições, uma via "web" e outra de Aristóteles:

1) Via web - A felicidade é um estado durável de plenitude, satisfação e equilíbrio físico e psíquico, em que o sofrimento e a inquietude estão ausentes. Abrange uma gama de emoções ou sentimentos que vai desde o contentamento até a alegria intensa ou júbilo. A felicidade tem, ainda, o significado de bem-estar espiritual ou paz interior.

2) Aristóteles - Porque essas coisas nos acompanham durante a vida inteira, com um peso e um poder próprios tanto no que toca a virtude como à vida feliz, já que os homens escolhem o que é agradável e evitam o que é doloroso; e são elas, segundo parece, as que menos conviria omitir em nossa investigação, especialmente por serem objeto de muitas controvérsias. (Aristóteles, 1987, p. 179).

As duas definições são igualmente sensacionais e profundas. Falam de estado pleno, envolve paz de espírito, harmonia entre corpo alma e a mente humana, sobre evitar o que é doloroso e optar por aquilo que é agradável. Ok... Mas, o que chamou  minha atenção nas definições é aquilo que acredito ser o ponto comum entre as duas. Ao orientar esta pequena busca, atente-se para o termo "Estado durável" e a outra parte que diz "coisas que nos acompanham a vida inteira". Em outras palavras, aquilo que dura a vida inteira. Parece que a relação da felicidade está ligado a aquilo que é permanente. E pergunto: O que é permanente nesta vida?

Permanente, duradouro, contínuo, constante... São palavras sinônimas no contexto e que se relacionam direta e coerentemente com a Felicidade. Quero lembrar nesta relação de felicidade com o que é permanente, o que disse acima. Nada nesta vida é permanente.Os bens mais duráveis acabam. Concluo que pra maioria, o objeto de busca sempre será uma utopia. Falso idealismo.

Em relação as Escrituras Sagradas, o processo de busca é uma pouco diferente. Feliz é um estado, um estado pelo qual a Bíblia cita colocando um peso adverbial em determinadas passagens como no Capítulo 5 de Matheus. As famosas Bem-aventuranças do Sermão do Monte. O significado de "Bem Aventurança", inundou a consciência cristã de que o seu significado é estar muito feliz ou mesmo mais que Feliz, num estágio pleno acima da felicidade. Se aquele que busca se compromete a observação prática de tais ordenanças, o comprometido alcançará este estado. Apesar de este significado estar certo, eu costumo pensar que ser bem aventurado é um estado "invejável" sem o sentido deteriorado da palavra. Uma condição que as pessoas admirem e querem também ter. Em outros termos, uma elevada condição de felicidade que não deteriora. É uma condição de felicidade atemporal. É uma condição acima de outra condição.
  

Agora todos estes argumentos são para apontar para quem nos ensinou o padrão que vem de Deus. Jesus é o padrão. Ele mesmo diz para praticarmos tais coisas e assim julgarmos se seu ensinamento é de Deus ou não (João 7:17). Jesus é o bem duradouro e tê-lo no coração é garantia de ajuntarmos tesouros no banco celestial (Mateus 6:19-21), e não apenas isso, mas sim ouvi-lo é a garantia de uma estado maior do que felicidade. E diante Dele percebo também o principio da semeadura, na aplicação do sentido mais pleno de doar. Porque se Jesus é o modelo, Ele nos ensinou com sua própria vida que é melhor dar do que receber. Olhar para atitudes de Jesus e entender que a melhor forma de ser feliz é plantado a felicidade em benefícios de outros. Plante a felicidade que também será feliz. Faça outros felizes que Deus lhe retribuirá. Tem um ditado que diz" Plante o bem que ao seu tempo vem" Galatas 6:9 diz: E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido.

Para os cristãos, Jesus é raiz essencial para a felicidade. Entretanto, guardo comigo por opinião própria, que a felicidade se manifestará na proporção certa e de forma eterna, se condicionalmente priorizarmos valores como fé, esperança e amor em Jesus. Ele é eterno, afinal semelhante a Pedro podemos dizer: "Para onde irei se só tu tens palavra de vida eterna." Nossas expectativas mudam porque nossos alvos mudam. Agora, se nossa expectativa é duradoura, então nossos alvos são constantes. Quando firmamos Nele, em sua confiança e esperança, as bases da sua Palavra nos concederá a retribuição do bem eternamente, porque Ele é Eterno. Afinal, fé e esperança são base do Amor, e ser feliz na proporção certa é ser amado pela forma de Deus que é Eterno.

Deus abençoe

Nenhum comentário: