segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Espiritualidade vs Pecado - Sobre a Vaidade


"A verdadeira espiritualidade, a espiritualidade cristã, tira a atenção de nós mesmos e foca-a em outra pessoa: Jesus."  Eugene H. Peterson

O que mais aprendo na caminhada do Evangelho é renunciar meus desejos para que Cristo apareça ao invés de mim. É tirar a atenção de mim.
É lutar contra o desejo exagerado de chamar a atenção para si, ou seja, a vaidade. 

Primeiramente, vamos refletir sobre a vaidade. Sentimento complexo e sutil. Perigo constante e inicialmente imperceptível na vida dos homens. Instaura-se no ser por uma simples honraria que recebemos de alguém ou por algo que fazemos. Seja o desejo de sucesso profissional, sucesso pessoal, por pessoas que temos ao lado, por objetos. Vangloriamos-nos por tudo. 

Biblicamente, a citação mais usada sobre a vaidade veio de Salomão, referido como o homem mais sábio do AT.
Vaidade das vaidades, diz o Pregador; vaidade das vaidades, tudo é vaidade" (Ec 1:2). Texto clássico que usamos sempre para referir sobre uma atitude de alguém que sutilmente foi vaidosa. E no fundo, o apelo do texto de Eclesiastes 1 é sobre isso mesmo, sobre o fútil orgulho pelo que fazemos.

Outra idéia é que vaidade está sempre atrelada ao orgulho e a soberba. Em ambos, existe um componente chamado vanglória. Ou seja, uma glória em vão, que não produz nenhum benefício. Faz a pessoa se sentir vaidosa, acreditando que tem uma eleição especial da parte de Deus ou por sua capacidade ou feito. Entretanto, sabemos que o mesmo se engana, pois a vaidade não tem proveito algum que não seja para iludir a si mesmo.

Na experiência de caminhada cristã, considerando apenas a aplicação do texto para os cristãos, vejo algumas pessoas que, por um critério de Deus que eu desconheço, recebem graciosos presentes Dele. No entanto, o critério mais valorizado pela bíblia não são estes dons, mas sim o caráter. E por esta valorização das escrituras, percebo que a Bíblia está comunicando que não ter vaidade é um atalho para acelerar o processo de ser um bem aventurado. 


Agora, aqueles que se acham especiais, melhor que os outros, que agem com soberba ou orgulho, com a pretensa de idéia de ser especial e por isso acima dos outros, precisam lembrar que este foi um dos sintomas da "Síndrome de Lúcifer (Livro de Caio Fábio que eu recomendo). Afinal, numa conclusão simples e lógica, este foi um mal até entre os anjos, leia Ezequiel 28. Um pecado complexo, interno, sutil e que mascara e por isso esconde outros pecados, justamente por trazer a ilusão de que existem homens melhores. Ou seja, homens que se acham o centro das atenções por sua habilidade.

Ao falar sobre espiritualidade de uma maneira simples, apontamos para o fator que se opõe a ela. O pecado. Segundo a Bíblia, o pecado é a barreira que faz separação entre nós e Deus (Isaías 59:2). Também sabemos através das Escrituras Sagradas que Deus é Espírito (João 4:24).  Então ser Espiritual é se encher de Deus, automaticamente ser avesso ao pecado. Informações simples, e por isso, qualquer Cristão que se preze sabe que o "não peques mais" de Deus é para o nosso próprio bem, para a nossa própria espiritualidade


A intenção do texto também é propor o espírito alerta. A vigilancia. Estar consciente e atento porque a vaidade se faz presente em muitos momentos da nossa vida. Faz parte da nossa natureza e sutilmente pode nos prejudicar quando ela domina os nossos anseios. O bom árbitro para este tipo de atenção é se o que você vive ou deseja tem o profundo desejo de honrar a Deus primeiramente. E diante desse desejo, o passo seguinte é orar para saber se esta é a direção Dele para o momento. E apenas quando a paz de Deus estiver guardando o seu coração e neste contexto Deus venha te responder de uma forma direta é que a atitude deve proceder. 

Finalizo propondo o fixar no coração a orientação do “Não peques mais”.  Lembrando que “não pecar mais” é uma das formas de ser espiritual. E para que isto aconteça,  precisamos finalizar todo contato e toda brecha que permite o pecado. Ou seja, tudo que promova o erro deve ser minuciosamente evitado. É algo essencial para vida Cristã e para testemunharmos ao mundo de que Jesus Cristo o Filho de Deus vivo é real. Isso é "cuidar para ficar de pé".

“Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor.”  Romanos 6:11

Nenhum comentário: