sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Devocional 14 - Dicas para ler a Bíblia adequadamente


"Há partes da Bíblia difíceis de interpretar, mas nenhuma me leva a duvidar." Jonh Blanchard

Muitas pessoas quando lêem a Bíblia esperam encontrar alguma novidade nunca encontrada ao ler as escrituras. Abordam algumas passagens como se tivessem um termo mágico ou uma palavrinha que quando descoberto possa trazer a compreensão de certas passagens da Bíblia. Olham com tanta complexidade que chegam a negar o que lá está escrito. Outros acreditam em alguma teoria da conspiração ou mesmo em alguma trama que prejudicou a leitura dos textos bíblicos. De qualquer maneira é bom citar que houve tantas traduções, versões e releituras bíblicas que muitos detalhes são perdidos em uma simples leitura. Saliento também que toda tradução é naturalmente interpretativa e hermenêutica, submetida à ótica da leitura do autor. 

Feitos estas observações iniciais, o fato é que a Bíblia permite interpretações diversas porque nela existem fatores históricos, culturais, contextuais e outros critérios para se fazer a leitura adequada. Na Bíblia, há também mistérios e paradoxos que permitem aos homens a imaginação e a curiosidade para especular desde que haja uma coerência lógica. Alguns escritores dizem que as escrituras sagradas têm uma cultura própria e que a mesma propõe uma sociedade mista em todos os sentidos desta expressão. Enfim, de muitas maneiras a Bíblia é atraente e polêmica, e por isso, todo argumento contido até aqui é para reforçar que a Bíblia exige certos cuidados ao examinar a Escritura. 

Um dos primeiros pontos a serem considerados é que nós, seres humanos, não temos a capacidade de encontrar a Deus pelo nosso próprio caminho. Foi Deus quem auto-manifestou e não nossa capacidade que o descobriu. R.C.Sproul, escritor conhecido, disse no cap 1 de seu livro "Verdades essenciais Cristãs" que "Tudo o que sabemos sobre o Cristianismo nos foi revelado por Deus" Este é um fato. A teologia estuda a ação de Deus na humanidade e em nenhum momento do estudo ela apresenta a humanidade descobrindo Deus em algum lugar. Atente-se também que há tantas restrições em interpretar a vida em si que aceitar a nossa incapacitação é a opção mais coerente. A diversidade natural, o ciclo da vida, as leis da física, a quantidade de coisas inexplicáveis demonstram que não temos recurso racional para entendermos. A integração entre todos estes elementos sugere uma engenharia no Ciclo da existência de todo ser vivente. O Samilsta diz (19:1)"Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos.

Reforço que a ciência não é mais coerente do que a fé. Pelo contrário, a fé permite o salto no escuro, a ciência não. A fé diz que existe uma realidade invisível que coerentemente explica coisas que aos olhos da ciência são inexplicáveis. A história se rende a fé porque propõe o crivo da duração dos anos. Ela narra uma história real com fatos ao longo dos anos, e a fé Cristã passou por esse crivo. A filosofia sempre depende de alguma matéria, ela não existe sozinha. E ainda ela propõe a lógica do pensamento onde a Fé Cristã se sobressai em relação as outras religiões justamente pela coerência daquilo que ela propõe. Enfim, mesmo a fé Cristã não se preocupando em ser explicável na lógica humana, ela ainda consegue ser a mais racional das religiões existentes. 

Enfim, os argumentos apresentados até aqui são para reforçar a importância de ler e interpretar as Escrituras. Você pode estar se perguntando: Alguém apresentou ou convencionou uma forma de ler a Bíblia? Sim, a própria bíblia. Muitos estudiosos chegam à mesma conclusão a respeito das Escrituras: A Bíblia é sua própria interprete!
 
De qualquer forma quero sugerir alguns pontos que podem nos ajudar a ler adequadamente a Bíblia.
  1. Ser salvo (liberto). Entender que a vida é um processo de libertação e palavra de Deus é o meio para você ser limpo.
  2. Revelação Divina. Crer em Jesus é uma revelação divina. Ou seja, Deus é que nos ajuda a entender a Ele mesmo. Converter a Jesus é o tirar do véu.
  3. Entender o plano central dos livros individuais da Bíblia e crer que toda escritura foi divinamente influenciada aos autores humanos e que aquilo que escreveram foi a própria Palavra de Deus. 
  4. A Bíblia é sua própria intérprete. Entender os meios que a Própria Bíblia ensina para você aprender. 
  5. É necessário tomar as palavras dentro do seu contexto. Não pode extrair textos fora do seu contexto.
  6. Não interprete as escrituras de acordo com sua experiência, mas interprete a experiência a luz das escrituras. 
  7. Ser orientado pelo Espírito Santo de Deus através do discipulado. Os servos existem para isso. Somos discipulados e discipulamos. Há uma graça nisso.
  8. Ler pacientemente e refletir. Solitude é essencial para isto. Reservar momentos específicos para isso 
Textos bases para este texto: (Matheus 16:17, João 15:3, João 8:32, 1 Coríntios 11:28, 2 Coríntios 3:16, Efésios 3.1-13, 2 Timóteo 3:16-17, 2 Pedro 1.16-21; 2 Pedro 3.14-18)

Nenhum comentário: