quinta-feira, 29 de março de 2012

Devocional 12 - Cuidado com a Falsa Graça

Apesar de ser de gratuita, a Graça de Deus não é barata. Muito menos banal ou permissiva ao pecado. O versículo abaixo alerta sobre isso.

Pois certos homens, cuja condenação já estava sentenciada há muito tempo, infiltraram-se dissimuladamente no meio de vocês. Estes são ímpios, e transformam a graça de nosso Deus em libertinagem e negam Jesus Cristo, nosso único Soberano e Senhor.” Judas 1:4 (NVI)

O texto alerta sobre os falsos crentes que na verdade são ímpios e que usam a Graça de Deus para justificar suas próprias ações. Na verdade o povo judeu se achava especial por causa de sua seleção, entretanto pareciam desconhecer o verdadeiro sentido da Graça de Deus e por isso achava que não seriam condenados mesmo praticando terríveis pecados. Diante desta realidade, Judas adverte que os mesmos convertem em dissolução a Graça de Deus. Ou seja, contrariam o desígnio da Graça que é livrar o homem do pecado e levá-lo a Deus. O argumento racional desta afirmação é simples: Se a graça proposta for tolerante com aquilo que afasta de Deus, ela não é graça e sim a desgraça do homem. 

É uma repreensão de quem sabe a dimensão da graça e que igualmente tem a estima certa por ela. E quando falo sobre a dimensão e estima certa, estou dizendo que ela não deve ser sobremodo elevada ao patamar de ser uma divindade ou mesmo ter outras funções que contraria a Deus ou a referencia de quem Ele é.

Afinal, é por intermédio da Graça que recebemos e conhecemos a Jesus Cristo Filho do Deus, também conhecido como: O Santo de Deus. Afinal se a libertação proposta é livrar da escravidão do pecado, nenhum outro nome caberia mais do que o Santo de Deus (Lucas 4:34). Santidade é oposto do pecado.

Para que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo nosso Senhor. Romanos 5:21 Por este texto e outros, temos que associar a Graça com a Santidade, não para manipular, mas para indicar que uma das maiores ações da graça é libertar o homem. Libertar o homem do que? Do pecado.

Destaco que nenhuma outra virtude é tão indescritível como a Graça, assim como nenhum outro favor de Deus poderia ser aplicada para libertar o homem. Além disso, não consigo encontrar outra afirmação mais contundente para explicar que: A Graça pertence a Deus, portanto a mesma funciona do jeito Dele.

Enfim que esta reflexão possa nos conduzir ao verdadeiro conceito de graça, que traduz na sua ação máxima o perdão e a virtude do céu para vencer o pecado.

Nenhum comentário: