terça-feira, 16 de novembro de 2010

Auto-suficiência


Ah... Aquelas famosas noites que se perde o sono. Ligo a televisão e fico procurando alguma coisa. Achei um programa cristão de debate. Era sobre assuntos do dia a dia a luz das escrituras. O programa me trouxe a lembrança da época de quando estudei no Seminário Teológico. Percebi que deixei de aprender muitas coisas em minha vida por me achar AUTO-SUFICIENTE em muitos assuntos que envolvia o contexto cristão. Em outras palavras, era a mais simples soberba humana e a mais pura falta de autocrítica. Eu não reconhecia minhas limitações e como conseqüência, a falsa sensação de que sabia das coisas quando na verdade não sabia. Eu era iludido pelo engano.

Quando penso nessa situação, logo visualizo a passagem de Provérbios 3:5 Confia no Senhor de todo o teu coração,e não te estribes no teu próprio conhecimento. O significado de estribar é sustentar, se apoiar fisicamente ou moralmente. Se apoiar no engano é terrível. A passagem significa: Não se fundamente no próprio conhecimento, antes se baseie no Senhor.

A pergunta que cabe aqui é: O único ser Auto-suficiente do Universo se relaciona conosco, porque eu me ousava a este pensamento soberbo? Sinceramente não sei. Essa é um prova de que não sou suficiente para mim mesmo. Ainda esta etapa de minha vida é um pouco confusa para mim.

Lembro que por muitas vezes desprezei o conhecimento de pessoas mais simples. Durante muito tempo agi como tolo e nisso conclui facilmente que minha soberba era transporte que me levava a ruína. Outra passagem que cabe está em Jeremias 9: 23,24Assim diz o Senhor : Não se glorie o sábio na sua sabedoria ,nem se glorie o forte na sua força ; não se glorie nas suas riquezas , mas o que se gloriar glorie -se nisto: em conhecer e saber que eu sou o Senhor ,que faço beneficência , juízo na terra ,porque destas coisas me agrado ,diz o Senhor”

De certa forma, isto me frustra pelo tempo que passei andando na imaturidade. Por outro lado, percebi o poder de conversão de Deus em relação a tudo. Nele, quando reconhecemos uma deficiência, estamos dando primeiro passo para superá-la. Deus mostrou que de minha parte cabe a renuncia e a aceitação da libertação através da sua palavra. Simples assim. Porém, não quero focar apenas na deficiência, quero dizer que sempre há um nível de maturidade e imaturidade, assim também como o conhecimento e o desconhecimento em todas as pessoas.


Através destas mesmas pessoas tenho aprendido que com os relacionamentos podemos entender e nos surpreender com o conteúdo de aprendizado informal que existe nessa relação. Lembro o que disse uma líder jovem a respeito de uma conversa com uma senhora idosa muito simples: - Ela me abençoa tanto! Ou seja, todo mundo tem algo oferecer. Através desta relação conhecemos por interdependência.

Definitivamente absorvemos muito mais tendo uma postura simples e humilde no Senhor ao relacionarmos com outras pessoas. Ou seja, considerando Filipenses 2:3,4 Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. O contexto bíblico destes versículos trata de relacionamento e o texto desta mensagem gera em nos uma nova percepção, onde a mensagem nos ajuda a ter um comprometimento maior com postura e o respeito em relação a nossa convivência com o nosso próximo. Basicamente nos ensina a dar preferência, e isto é dar preferência em tudo.

A verdade que me sentia vaidoso por ter tanto tempo como cristão, ter feito seminário, ser músico premiado e outras vaidades, que eu acreditava que aquilo me elevava a uma condição diferente em relação aos demais. Falo isso com muito temor. Na verdade, alem do engano da auto-suficiência, havia um pouco de ciúme em relação ao sucesso de novos convertidos e outras pessoas. Lembro que sempre encontrava algum defeito em pessoas novas na fé para montar uma teoria de que a conversão da pessoa não era genuína. Achava-me uma autoridade que eu não era, um termômetro espiritual ou mesmo um juiz. Engano é isso! Na minha ótica, eu não conseguia resolver e aceitar a idéia de receber conselhos de alguém que se converteu recentemente. É como se revelação de Deus se desse por tempo de fé. Nesse período, aprendi o significado de interdependência. Relacionar e aceitar que Deus fala, mostra e escolhe pessoas por tempos diferentes, sejam elas novas ou não na fé cristã.

Passei a entender de forma correta a passagem do Filho pródigo. Entender que a graça de Deus abrange tanto o filho mais velho que ficara com o Pai em sua fazenda trabalhando, quanto ao filho mais novo. Essa passagem ilustra muitas coisas, mas atento para a dimensão de graça que um desfrutou e outro não. O filho pródigo (filho mais novo) que distante da casa de seu pai, depois de gastar toda herança, percebeu que sua vida era miserável em relação a tudo que deixou para trás. Arrependeu-se, reconheceu e resolveu voltar clamando por misericórdia. Ali, na mais profunda vergonha, o filho pródigo reconheceu que os servos de seu pai tinham uma vida melhor do que a dele. A Bíblia diz que alem do pai ter perdoado, o reconheceu como filho ao ponto de por uma aliança, declarar feriado e fazer uma festa. Já o filho mais velho que lembra a mim mesmo e outros crentes que estão na igreja a tanto que nem sabem mais o porquê, esteve o tempo todo trabalhando com Pai sem entender o real significado de sua herança. Sua herança é graça e não a fazenda. Este texto simula perfeitamente o que é graça. É favor. Ou seja, Deus nos deu sua herança, não porque merecemos, mas porque existe uma disposição no coração Dele que nos favorece. A fazenda e tudo que existe nela sempre estiveram a nossa disposição. A Bíblia nos deu esta dica: Onde abundou o pecado, Super abundou a graça de Deus.

Espero que neste caso, a minha experiência na imaturidade, ajudem os irmãos a entender que geralmente os defeitos de nossa auto-suficiência pode ser a porta de entrada para outros defeitos. Soberba, engano (sofismas), vaidade e outras coisas. Os defeitos geram a conseqüência de uma vida privada da excelência em "conhecer e prosseguir em conhecer" os atributos e dimensões de Deus. Deus é bom em todos os aspectos e sua justiça não é baseada em nossos valores, mas sim em valores e princípios celestiais que estão acima da concepção humana. Por isso que Deus usa as pessoas simples, porque ninguém é merecedor o suficiente diante dele para concentrar a sabedoria. Ninguém é sábio diante de Deus que possa se vangloriar. Têm-se dons (presentes), foi Ele (Deus) que nos deu. A bíblia diz: I Cor 1:26,27 Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes;

Fica a última dica através de um provérbio: O inteligente aprende errando, o sábio aprende vendo o outro (inteligente) errar. Que vocês sejam sábios!


Deus abençoe.

Nenhum comentário: