domingo, 7 de dezembro de 2008

Homossexualismo - Algumas considerações

Fico entristecido e assustado ao perceber como tornou-se difícil emitir qualquer opinião sobre este assunto. Independente da idéia de perseguição, todo o ambiente envolto acerca deste assunto mostra alienação e deturpação de como as pessoas veem os homossexuais e como os próprios homossexuais se veem. Parte disso, se deve ao um apoio injustificado da mídia, onde criam uma confusão ao exigir tratamento diferenciado com base na tentativa de impor uma lei que nenhuma outra classe até hoje ja gozou.

Recebi alguns comentários no meu blog, todos publicáveis, de pessoas que diretamente ou indiretamente estão envolvidos nesse meio. Chama-me muita a atenção o fato das similares incidências entre uma experiência e outra. E por isso, tenho relevado muita coisa ao pensar sobre este assunto, pois não quero ser mal interpretado e gerar indiretamente uma imagem legalista e inacessível. Sempre enxerguei uma necessidade de um trabalho mais cuidadoso com essa turma, mostrando Jesus como alguem que Ele realmente é - Completamente acessível a todos. Isso não signifique que Ele (Jesus) seja complacente com qualquer erro premeditado e consciente que nos afaste de Deus. Não, Cristo nao é. Ele é perdoador, porém a sua benevolência não é complacência. A idéia desta reflexão tbem é mostrar que Jesus pelas características que se apresentam em toda Escritura, não é condescendente com o pecado.

Sitiando

Quando estabelecemos um parâmetro, estabelecemos uma referencia, que por fim acaba se tornando um pre-requisito para nos encontrarmos. Não que isso seja um formato para servir a Deus, mas uma ponderação acerca do que Bíblia diz. E a Bíblia sim é o começo para alguem se considerar servo de Deus. E a mesma apresenta exigencias que se inicia em um entrega de vida sem reservas. Ou seja, ser dependente totalmente Dele.
A palavra de Deus se apresenta muito clara no desejo de sermos a imagem e semelhança de Deus. Com o pecado desviamos deste proposito, por isso a vontade desejavel daquele que nos criou é voltarmos a essencia. Para isso, necessário é restaurar as coisas. Restaurar qualquer disturbio de identidade, trauma e todas as coisas que sejam diferentes daquela que é a plena Vontade diretiva de Deus para a humanidade. O desejo de Deus é a restauração Plena.

Infeliz Imposição
Neste assunto, quero tbem apontar essa "infeliz" necessidade que outros tem de exigir algo imposto tbem para o Cristão. Não impomos nosso modo de viver, apenas é proposto a Cristandade modelada por nossa crença na bíblia como escritura sagrada. Pois, se gozamos de um contexto onde Cristo é a Centralidade, naturalmente iremos crer que o propósito natural criado por Deus faz parte de um principio estabelecido para o homem e para a mulher. E nisto passa ser questão de obediência, pois aquele que quiser seguir a Jesus precisa se posicionar de acordo com Bíblia, lendo e interpretando todas as situações inclusive a do homossexualismo. João 14:23,24 Quem não me ama, não guarda as minhas palavras; ora, a palavra que estais ouvindo não é minha, mas do Pai que me enviou
Desgasta muito ter que dar explicações quando o assunto em discussão ja esta definido a luz das escrituras. Não existe uma outra alternativa que permita, justifique ou mesmo explique o homossexualismo como outra coisa que não seja pecado. É Simples assim...

Impressões

Ainda externando minhas impressões quando convivi com homossexuais, posso dizer que em todos, por acompanhar de perto, fiquei com a sensação de que a "atmosfera" do homossexualismo na vida deles, criou e cria nos mesmos um imenso disturbio. São pessoas fugindo de si mesmas, da familia, da igreja, mudando o seu modo natural, inquietos, ansiosos exageradamente e tendo modos agressivos. No caso dos mais esclarecidos, tbem os mais dificeis de lidar, eles consideram que isso faz parte da identidade. Isso é extremamente persuasivo e atraente, porém interfere diretamente na personalidade da pessoa mudando o modo natural e permitindo a idéia de que o amor justifique qualquer coisa. Eles acreditam que amor justificaria a causa. Sonham em encontrar alguem que compartilhe esse amor, de certa forma sonham em viver um romance. Como se o amor tivesse essa capacidade de burlar leis espirituais ou mesmo a vontade de Deus. Só que alem de contrariar diretamente algumas passagens bíblicas que condenam o homossexualismo, indiretamente cultuam o amor e não a Deus. Esse é problema, pois Deus foi específico nas escrituras e só conhecemos o amor por intermedio Dele.

Por fim, a bíblia é a palavra de Deus. E a extensão e o cumprimento dela são aqueles que a seguem como as instruções personalizadas por parte de Deus.

4 comentários:

Raphael Rap disse...

Terei de tecer algumas considerações sobre esse assunto, que como tu disse é bastante recorrente...

Creio que não exista exigência alguma no Evangelho no sentido de que devemos cumprí-la para sermos filhos de Deus ou amados por Ele.

A análise de direitos homossexuais deve ser vista de maneira totalmente laica, de forma plena isso é impossível de acontecer, mas devemos analisar tais direitos ou não com argumentos laicos. Da mesma maneira o aborto e vários outros assuntos-tabus da sociedade atual...

Juber Donizete Gonçalves disse...

Daniel,

Também concordo com você que é difícil hoje emitir opinião sobre esse assunto, mas é necessário mesmo.

Abraço

Daniel Moreira disse...

Grande Raphael!!

Sobre o amor de Deus não existe nenhuma condição. É simples assim. O amor é incondicional e para todos, sem exceção. Agora quanto sermos filhos de Deus, existe sim várias passagens que apontam para exigências. Um delas esta em João 1:10 -12. Que deixa claro que apenas aqueles que o receberam podem se tornar filhos de Deus. Há muitas razões que apontam um caminho que inicia na idéia de graça e amor, e que se consolida na idéia de cumprimento da vontade de Deus que envolve uma mudança de comportamento. Jesus frisou isso o tempo todo. Em Mt 12:46 - 50: Nessa passagem Jesus é questionado sobre sua mãe e seus irmãos respondendo no versículo 50 assim: "Qualquer que fizer a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe"

A vontade de Deus é essencial para "ser" Cristão. Em João 14:23-29, Jesus diz claramente que só o ama aqueles que cumprem a Palavra de Deus que Ele tem ensinado. Ou seja, ser filho Deus é para qualquer um, desde que o mesmo se enquadre na vontade de Deus que se manifestou ao longo da história através da sua Palavra. E Jesus foi o principal cumpridor.

Concordo que precisamos separar as coisas, independente do credo. Agora minha posição cristã exige de mim a reflexão sobre qualquer forma de anomalia no ambiente cristão em relação ao mundo, como tbem do mundo para o ambiente cristão. Ou seja, quando abordo uma realidade que afeta diretamente ou indiretamente o meio Cristão, preciso pensar na proposta deste tipo lei que tbem não visa assim a neutralidade do Estado em relação ao Cristianismo. O Cristianismo condena o homossexualismo e o Estado defende. Nesse um ponto um obrigará ao outro alguma coisa. E no meu caso, apesar de separar muito bem as coisas, eu tenho cristianismo no lugar mais honrado do meu coração. Por isso, sempre quando for exigido de mim uma posição mais definida, o que ditará minha crença é Cristo.

É preciso pensar que o Cristianismo não propõe leis para o Estado, propõe uma Cristandade que na visão da humanidade esta inserida dentro do Estado. A idéia é basicamente dizer que a Igreja seja denominacional ou seja pessoa submete de certa forma ao Estado. É nesse ponto que há o conflito. A bíblia orienta ao cristão que cumpra as leis, porém quando se trata de comparar na vida do cristão a lei dos homens ou a lei de Deus, tem que prevalecer a lei de Deus. Nota: Quando falo no sentido de lei de Deus, falo das orientações através de seus principios exemplares.

Frisando sobre qualquer pessoa que independente de sua classe ou condição, quiser seguir a Jesus, terá que se adequar a Cristo e não Cristo a pessoa. Cristo nunca rebaixou a sua graça e amor para facilitar para humanidade. Ambos se extendem em favor da humanidade. É muito diferente. Por isso não se encontra na Bíblia, ou mesmo nas ações de Jesus alguma característica que mostre ele aceitando qualquer pecado. Mostra Jesus perdoando o pecador arrependido e desamparado, e sempre no final orientando a humanidade de uma forma bem coerente. Por isso, como disse em outros textos, um homossexual precisa ser aceito e não imposto. Agora se a pessoa, mesmo estando homossexual ou sendo homossexual, quiser seguir a Cristo, não será Cristo que terá que se adequar a ele e sim ele a Cristo. O conflito esta ai, pois o Estado irá impor e a Igreja será obrigada a aceitar um homossexual participando de cargos nas igrejas... E por ai vai as consequencias e um outro texo pra frente ai...

Eu estudei sobre laicismo ha muito tempo atrás na Faculdade de Teologia, como a grade era de especialização em filosofia, pude entender bem algumas coisas. Respeito sua opinião, e o meu texto sobre política reforça bem essa idéia, porém os pontos onde estou focando são outros. Não foco a pessoa homossexual, e sim o privilégio que irão dar ao homossexualismo na pessoa. Privilégio esse que nenhum outra classe ja gozou.

Agora que o "Estado" pense sua leis de forma ponderada e sóbria em todos os sentidos. Senão fica parecido com lei que impõe vagas reservadas a negros em uma faculdade, quando na verdade apesar da boa intenção, apenas reforça o preconceito. Tem muitas coisas que conseguimos medir antecipadamente por um exemplo parecido que não funcionou muito bem, e isso se aplica aos homossexuais.

Vítor Carvalho Ferolla disse...

O PAVA está fazendo uma Newsletter só para blogueiros e dessa vez é sério.

Para entrar na lista basta me enviar um e-mail com seu Nome, E-mail e Endereço de Blog e Data de Aniversário para:

amigodopava@gmail.com

Obrigado!