sábado, 7 de junho de 2008

Análise bíblica de "canções evangélicas" : "Deus de promessas"

No Post a seguir, Pastor Ciro [Blog do Ciro] faz uma analise bíblica da Musica Deus de Promessas. Vale a pena conferir, todo texto foi extraído do Blog do mesmo.

Neste artigo, analiso a composição “Deus de promesas”. Prepare-se para se surpreender...

Sei que os teus olhos sempre atentos permanecem em mim.
Gostei da maneira como a letra começa, dirigindo-se a Deus: “teus olhos”. Isso é raro hoje em dia. A maioria das composições “evangélicas” são voltadas para o ser humano: “Você é isso e aquilo”, “Profetize a sua vitória”, “Hoje o meu milagre...”, etc. É inteiramente bíblica a afirmação de que os olhos do Senhor estão sempre atentos sobre nós (Pv 15.3; 2 Cr 7.14,15).

E os teus ouvidos estão sensíveis para ouvir meu clamor.
Isso também está de acordo com as Escrituras (2 Cr 7.14,15; Jr 33.3; 29.13; Mt 7.7,8).

Posso até chorar. Mas a alegria vem de manhã.
De fato, “O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã” (Sl 30.5).

És Deus de perto e não de longe.
Esta frase da composição em análise é a mais debatida pelos críticos. Se a analisarmos isoladamente, ela entra em choque com Jeremias 23.23. No entanto, é preciso ser coerente e interpretá-la à luz do contexto da composição. Este afirma que Deus está perto, no sentido de ouvir, atender aqueles que o buscam. Nesse caso, há sim base na Bíblia para essa afirmação, haja vista a própria Palavra de Deus dizer: “Perto está o Senhor de todos os que o invocam” (Sl 145.18). Leia também Isaías 55.6 e Salmos 119.151.

Nunca mudastes, Tu és fiel.
Aqui há um erro (um errinho) gramatical, para ser justo. O correto é “mudaste”, e não “mudastes”. Quanto ao enunciado, é bíblico, pois o Senhor nunca mudou mesmo (Ml 3.6; Hb 13.8). Mas a sua imutabilidade é em relação ao seu caráter santo e justo, uma vez que Ele pode mudar no sentido de não cumprir algo em favor de alguém que dEle se afasta (2 Cr 15.2; Tg 4.8). Deus é sempre o mesmo em seu caráter; nunca muda quanto à sua fidelidade (2 Tm 2.13).

Deus de aliança, Deus de promessas.
Que Ele é um Deus que faz alianças e promessas não há dúvidas. Que tal ler o livro de Gênesis? Veja os capítulos 9 e 12, por exemplo. E a aliança que Ele fez com Israel? E a promessa do derramamento do Espírito? E a Segunda Vinda de Cristo?

Deus que não é homem pra mentir.
Ao longo das páginas sagradas vemos um Deus Fiel, incapaz de mentir. Em Número 23.19 está escrito: “Deus não é homem para que minta”. Jesus disse que é a Verdade (Jo 14.6), e o crente deve estar firmado nEle. Como cada uma das Pessoas da Trindade formam um único Deus, todas as três são mencionadas como sendo “o Deus verdadeiro” ou “a Verdade” (Jo 17.3; 1 Jo 5.20; Jo 14.17).

Tudo pode passar, tudo pode mudar, mas Tua palavra vai se cumprir.
A Palavra do Senhor nunca volta vazia (Is 55.10,11). Daí o Senhor ter dito que vela por ela, a fim de cumpri-la (Jr 1.12). Hoje, muitos se firmam em “pensamentos”, “opiniões”, “sonhos”, mas não valorizam a Palavra de Deus! Jesus foi bem claro quanto a isso: “O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar” (Mt 24.35). Note: “palavras” (cf. também 1 Pe 1.24,25).

Posso enfrentar o que for.
De fato, se estivermos em Cristo, podemos todas as coisas naquEle que nos fortalece (Fp 4.13; Ef 6.10).

Eu sei quem luta por mim.
Veja que coisa maravilhosa quando um compositor de fato segue a Bíblia! Ainda que eu quisesse, não poderia reprovar a letra em apreço, haja vista enfatizar que o Senhor é o nosso Ajudador (Hb 13.5,6); Ele luta por nós e ao nosso lado, pois somos soldados dEle (2 Tm 4.3,4). Como disse Paulo, “eu sei em quem tem crido” (2 Tm 1.12).

Seus planos não podem ser frustados.
Compositores que seguem aos modismos da atualidade diriam: “Seus sonhos não podem ser frustrados”, mas a letra diz “Seus planos...” Está de acordo com Provérbios 16.1,2.

Minha esperança está nas mãos do grande Eu sou.
Confiamos mesmo no grande Deus “Eu Sou” (Êx 3.14; Jo 8.58), pois as suas mãos estão estendidas sobre os que o buscam com sinceridade (Is 14.27; 59.1,2; At 4.28-31).

Meus olhos vão ver o impossível acontecer.
Diante de todo o contexto da composição em análise, a sua última frase reveste-se de importante significação, sendo coerente e biblicamente fundamentada. Quando de fato estamos na presença do Senhor, sendo-lhe obediente, contemplamos, pela fé, coisas grandes e impossíveis (Hb 11.1; Jr 33.3; Jo 1.50,51).

Em Cristo,

Ciro Sanches Zibordi

2 comentários:

FABIO PS disse...

Caro Daniel, uma vez trocando ideias com um amigo ele me respondeu sobre a passagem em Jeremias 23:23 na letra da música em lide bem semelhante a você, e ainda me falou sobre licença poética. Pois bem, penso eu que uma música quando dita de cunho religioso, quando usar trechos das Escrituras, não deve adulterar o escrito e nem o seu contexto, uma vez que sabemos que muitos ditos cristãos creem que nas ditas canções gospel como se nelas realmente estivessem a palavra de Deus como nas escrituras.
eu gosto muito de músicas gospel, mas gosto ainda mais das Escrituras para aceitar um erro deste apenas para contextualizar com a mensagem que o autor quer passar. Licença poética cabe para a musica secular, o autor que se safe em contextualizar a sua canção com as Escrituras e não o contrário.
Outrossim, digo que se o autor escrevesse " És Deus de perto e Deus de longe" não mudaria em nada a mensagem da canção e não adulteraria as Escrituras.
Para finalizar, as canções que se adaptem às Escrituras e não o contrário.

FABIO PS disse...

Caro Daniel, uma vez trocando ideias com um amigo ele me respondeu sobre a passagem em Jeremias 23:23 na letra da música em lide bem semelhante a você, e ainda me falou sobre licença poética. Pois bem, penso eu que uma música quando dita de cunho religioso, quando usar trechos das Escrituras, não deve adulterar o escrito e nem o seu contexto, uma vez que sabemos que muitos ditos cristãos creem que nas ditas canções gospel como se nelas realmente estivessem a palavra de Deus como nas escrituras.
eu gosto muito de músicas gospel, mas gosto ainda mais das Escrituras para aceitar um erro deste apenas para contextualizar com a mensagem que o autor quer passar. Licença poética cabe para a musica secular, o autor que se safe em contextualizar a sua canção com as Escrituras e não o contrário.
Outrossim, digo que se o autor escrevesse " És Deus de perto e Deus de longe" não mudaria em nada a mensagem da canção e não adulteraria as Escrituras.
Para finalizar, as canções que se adaptem às Escrituras e não o contrário.