segunda-feira, 25 de junho de 2012

Sobre a Santidade


Introdução

Quando pensamos em Santidade, torna-se importante frisar a diferença a luz da escritura entre a Santidade Divina e a Santidade exigida aos Cristãos, assim como aplicação no contexto da humanidade.

A santidade de Deus é aquela que está ligada ao divino que é imaculado, sem erros, sem pecado algum. Santidade relacionada na transcendência, um ser a parte e diferente do toda a criação. Afinal, Ele é o Criador e não criatura. 


A Bíblia mostra uma visão de Isaías 6 que está relacionada ao atributo da santidade de Deus e eleva o mesmo a repetição por três vezes. Santo, Santo, Santo fazendo referência a Trindade. Também em relação ao Espírito de Deus a bíblia faz questão de comunicar que o Espírito é Santo.

Na oração dominical modelo, o famoso Pai nosso, a segunda parte da oração ensina que nossa função como Filho é santificar o nome de Deus entre os homens. A intenção é representar a Deus tornando o nome Dele conhecido como Santo.

Agora a santidade que está relacionada a humanidade é aquela que frisa a separação para uma santificação. Basicamente Deus apenas exige um tipo de santidade para humanidade, aquela que tem o significado relacionado com a separação das coisas deste mundo. Reservar-se quanto a prática do pecado. Alguns acreditam também que devemos simular a transcendência de Deus na referência humana em relação a toda criação. O homem é um ser diferente de toda criação justamente por ser a imagem e semelhança de Deus. Esta diferença se mostra em atitudes definidas por Ele como uma ação para que o cristão convertido tome.

Santidade Divina

Um ponto importante e inicial é que Deus não é separado por existir outras opções que o tente. Tiago 1.13 "Ninguém sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta." Deus não esta sujeito ao pecado porque nele não há natureza humana e nem maléfica. A origem desta palavra esta no grego "apeirastos" que deixa claro que Deus não pode ser tentado. Quando é destacada a santidade de Deus, o significado nasce do Divino, que nos leva a idéia de uma natureza que esta acima da concepção humana e das coisas corruptíveis. Is 55:8, 9 "Pois os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos". Essa declaração é chave para entendermos que o propósito de Deus esta infinitamente mais elevado do que o nosso, assim como todos os seus atributos.

Em Isaías 40:25 "A quem, pois, me comparareis para que eu lhe seja igual? -- diz o Santo" Isaías mostra que as criaturas não são nada em comparação com o Criador. Nesse ponto é possível notar que a característica central de Deus é a Santidade, inteiramente relacionada com a Perfeição. É explicito: Deus é o Centro da Perfeição. Ele é absoluto e não há grau de comparação de verdades, santidades e qualquer outras situação que possa questionar ou apontar algum bem maior que Deus. Não há bem ou separação ou qualquer coisa nesse mundo que esteja no nível de comparação de Deus. Ele é Santo porque dele vem a santidade.


Santidade exigida aos homens

Quando lemos a passagem de João 14:26 podemos sugerir que existe uma consciência moral gerada pelo Espírito. "Mas o Ajudador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito." Esta passagem deixa claro que Jesus estava falando de "alguém" que ensina novas situações e que é a lembrança das coisas que Ele já disse. Como sabemos que a Bíblia ensina princípios para os cristãos, este versículo, além da característica educacional espiritual, esta relacionado com o discernimento diante de uma situação. O texto de Isaías 1:16-17; 2:3 confirma que o homem pode discernir entre o bem e o mal através da revelação de Deus. Ou seja, quando estamos diante de uma situação de decisão, a consciência moral gerada pelo Espírito com características de separação para o que é correto, nos leva a tomar a direção certa diante da situação.

Em outra situação, o trecho de Hb.12.14, mostra que santidade é um dos pré-requisitos para aqueles que desejam a Salvação. Ela igualmente está relacionada a idéia de Separação. Ou seja, o ato de se reservar quanto as coisas humanas corruptíveis. No conceito cristão, esta inteiramente ligada a conversão a Jesus e a assumida vida diferente dos parâmetros nos quais se sitiam a maior parte da humanidade. A Bíblia aplica a santidade a imitação da vida de Cristo quanto homem. O exemplo de Jesus em viver em separação enquanto habitava como homem e sua determinação em seguir e cumprir o propósito a que veio. E isto, nos implica que "não há separação sem uma missão". Somos separados, somos reservados para cumprimento de uma causa que é missão de Cristo.

Nota: É bom ressaltar que só porque os cristãos têm valores diferentes, não significa que não tenha que viver sob leis. Nossa separação é um auto-renuncia de desejos reforçado pela concepção que nos leva a compreensão racional de uma vida diferente, porém temos obrigações nas quais o nosso estilo vida não impede de cumprirmos. Ou seja, somos cidadãos e temos que cumprir com as nossas obrigações.

"Aquele que diz que não tem pecado faz Deus mentiroso" (1 Jo 1, 10)

Também do ponto de vista do que se espera do Cristão, ser santo não é ser sem pecado, mas se reservar quanto a prática do pecado. A diferença chave para esse entendimento, esta na pessoa que se pré-dispõe a conhecimentos fundamentais para ser cristão. Um desses conhecimentos é saber diferenciar o que é pecado do ponto de vista de Deus. Viver sem pecado sem a ajuda da consciência moral divina é impossível ao ângulo humano, pois não temos a exata percepção do que é pecado se não for pelo ângulo de Deus. Esta exata percepção vem da consciência gerada através do Espírito desenvolvendo em nós a dimensão da verdade para que sejamos libertos. A medida que conhecemos a bíblia e reservamos ela em nosso coração como parâmetro, estaremos assim no processo certo e exigido por Deus para a santificação.

Outra percepção é que a verdadeira liberdade alcançada através da libertação, esta na conscientização da razão através da bíblia. 1 Coríntios 10:23 "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam." Isso mostra que a bíblia dita a moralidade que vai reger o comportamento do cristão. Manifesta-se a verdadeira liberdade, aquela que temos a livre condição de escolher entre dois caminhos, e por não ser escravos da nossa vontade ou mesmo do pecado, escolhemos aquela que é certa aos parâmetros bíblicos. É ser livre do egoísmo que prende a nos mesmos ou qualquer outro desejo puramente humano

Portanto, exigir a santidade de homens com a referência da Santidade Divina é um erro. Esperar de um humano que tem a natureza corruptível e lhe atribuir uma qualidade muito maior que sua capacidade, possivelmente é valorizar os humanos e menosprezar a Deus. Somos a imagem e semelhança, porém não somos Deus. O que creio e afirmo é que santidade só está ao nosso alcance se Deus nos ajudar em nosso esforço. O que é possível, nós fazemos, o que é impossível Deus fará.

Espero que tenha contribuído.


Nenhum comentário: