domingo, 6 de janeiro de 2008

É Proibido Pensar (3)

Uma simples analise sobre a música "É proibido Pensar" do cantor João Alexandre. Quero frisar que no histórico das canções, ele (João Alexandre) sempre trouxe a critica sobre situações que precisavam ser repensadas na Igreja Brasileira.

Lembrando que critica principal esta no titulo da música... é Proibido Pensar.

Segue abaixo:

Procuro alguém pra resolver meu problema, pois não consigo me encaixar nesse esquema, são sempre variações do mesmo tema, meras repetições..

Pelo que percebo a idéia inicial é expor que não encontra identificação com a realidade da Igreja Brasileira. É pertinente quando diz que o Evangelho está preso aos mesmos assuntos, e que estes assuntos não contribuem em nada para o crescimento da Igreja. Chavões, canções, pregações e outras coisas que tratam de assuntos sem desenvolver qualquer idéia nova relacionado ao conhecimento. E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos Mt 6:7

A extravagância vem de todos os lados, e faz chover profetas apaixonados, morrendo em pé,rompendo em fé dos cansados....que ouvem suas canções...


Nesta parte da canção ele é mais direto. Trata desta epidemia de Profetas de um mover extravagante. Essa idéia de excessos associado a alienação. Frisa sobre o comportamento que apenas cansa e não acrescenta em nada ao contexto das pessoas. Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em Novidade de vida. Rm 6:4

Porém é bom que irmãos entendam, que apesar da associação a tais "profetas" e os generos (ou genéricos), ele não faz juízo infamatório de pessoas. E nisso, faço questão de associar, pois como diz na bíblia, "já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus" (1 Pe 4.17).

Estar de bem com a vida é muito mais que renascer....Deus já me deu sua palavra..e é por ela que eu ainda guio meu viver!

No mesmo compasso da outro estrofe, ele propõe um trocadilho muito interessante. Renascer não é estar vivendo com vida tranquila, cheio de luxos e farturas. Aquela imagem de vida feliz e bem sucedida, quando na verdade está cheio de situações que precisam ser consertados. A intenção é nos levar a associação com a Instituição e seus recentes problemas.

Reconstruindo o que Jesus derrubou..Recosturando o véu que a cruz já rasgou..

Reconhecidamente, grande parte das pessoas relacionadas a musica nas igrejas promovem um padrão que tenta elaborar através de suas experiencias sistemas para conduzir pessoas a adoração. É mais ou menos a formula que conduz as pessoas além do véu, mas que para levá-las ao Santo dos Santos precisam primeiro recosturar o véu que ja foi rasgado.

Ressuscitando a lei, pisando na graça, negociando com deus! No show da fé milagre é tão natural, que até pregar com a mesma voz é normal..

Envolve um texto que é bastante discutido em vários blogs, que é de uma Igreja sem sua característica marcante que é graça de Deus e ainda sobre o comércio da fé. Critica a essa teologia de prosperidade e que insiste em mostrar a Deus como um deus que barganha os seus bens. Ainda insiste na idéia de clones na fé. Porém, o assunto em questão é para se pensar, ja que parte da igreja sugere a idéia de discipulos e tem como base a relação de Jesus com os seus discipulos. E o mais comum nessa relação é identificação de ideias e até mesmos os jeitos que caracterizam tanto o discipulador quanto o discipulo. Agora conhecendo a capacidade de Jõao Alexandre, entendo que ele vê a falta de identidade na fé; pessoas que imitam seus líderes e não a Jesus.

Nesse evangeliques universal....se apossando dos céus...

Persite na idéia de gente que faz comércio das coisas de Deus. Que literalmente vende o "céus" e seus bens e deterioriza as pessoas humildes com o fardo que traz a idéia de que Deus quer enriquecer a todos. E assim como nos outros trocadilhos, critica a representação das denominações e não os representantes.

Estão distantes do trono, Caçadores de deus ao som de um shofar.
E mais um ídolo importado, Dita as regras para nos escravizar:
É proibido pensar!!!


Finaliza com mais alusão direta ao grupos e denominação que existe e que de uma certa forma dita um modismo que traz mais escravidão do que propriamente crescimento para Igreja. É como se modelasse um comportamento de como se deve proceder...

Basicamente a critica é feita a falta de percepção racional, profética e até poética a tudo que esta ocorrendo na Igreja nos dias de hoje. Pessoas que não visualizam o crescimento e desenvolvimento da Igreja como Representante do proposito de Deus para humanidade. Ministérios sem justificar a sua existencia dentro dos padrões biblicos. Na verdade apenas somam a uma igreja que se corrompeu aos valores humanos e que a cada dia mais perde a sua ferramenta mais eficaz para evangelização da humanidade que é seu testemunho.

Finalizando, além de ser planejado toda a critica, posso discernir que é uma demonstração de posicionamento de um cristão que esta ciente do seu chamado. João levantou a bandeira e apontou a situações sem acusação, alertando a igreja que esta perdendo o foco.

Para saber mais, sugiro a todos que leia a entrevista abaixo.

http://www.dotgospel.com/noticias_entrevista-com-joao-alexandre_2063.html


--
Daniel Moreira

Nenhum comentário: