domingo, 17 de junho de 2012

A diferença Bíblica entre Receber e Aceitar o pecador

Nestes dias onde a iniqüidade se multiplica e como conseqüência o amor se esfria, precisamos estar treinados nas escrituras como obreiros aprovados em nossa própria vida e vigilantes aos intentos do maligno. A Bíblia diz que o mundo jaz no maligno. Sempre quando penso nesta passagem imagino uma conserva. Visualizo um mundo curtindo na malignidade do Império das trevas. Os nomes destas malignidades são apostasia, falsos mestres, virgens loucas, falsos crentes, lobos vestidos de ovelhas, hipócritas de todos os tipos, pessoas que tentam manipular a palavra de Deus para o próprio benefício e que estão às portas buscando a quem possa enganar.

Teremos de lutar contra isso todos os dias, pois definitivamente "não existe salvação sem desenvolvimento e nem santidade sem luta". E pelo processo da luta é que crescemos e obtemos vitória.

Diante deste alerta, proponho a definição do que é ser convertido. Ser convertido é não ter nenhum outro ponto de vista que não seja o de Cristo. Simples assim. É olhar para uma situação e discernir qual é ponto de vista de Cristo. Para isto, quero de antemão lembrá-los que Cristo não acusava, mas sempre se posicionou através da orientação. O ponto chave para a diferença entre aceitar e receber o pecador é a orientação. Isso é fundamental para mudança de vida. A intenção é ensinar a ser como Ele. Ser transformado, ou seja, "sofrer" uma metamorfose para ser como Ele, JESUS CRISTO, o cordeiro de Deus imaculado. Para nós é importante a ênfase de sermos como Jesus, e isto inclui principalmente ser como Ele para viver sem pecado. Diante disso sugiro uma rápida reflexão sobre a diferença entre Aceitar e Receber. Jesus recebe a todos, mas não aceita a todos. Existe uma condição. A condição é o arrependimento como porta de entrada do Reino de Deus. O Reino de Deus não se inicia em um lugar, mas em uma mudança. E o arrependimento válido é aquele que muda a convicção para a pessoa crer em Jesus, recebendo assim o poder libertador da graça de Deus para que não peques mais (Romanos 6:14).

Olha o que texto fala:

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e meu fardo é leve." Mt 11:28-30

O versículo é um convite, o de que Ele recebe e receberá a todos. Inclusive marginalizados, efeminados, inferiorizados e aqueles que se consideram doentes de algum ponto de vista. Só que é necessário notar que receber é diferente de aceitar. A instrução de Jesus para mulher que adulterava deixa claro essa diferença:

Mas, como insistissem em perguntar-lhe, ergueu-se e disse- lhes: Aquele dentre vós que está sem pecado seja o primeiro que lhe atire uma pedra. E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra. Quando ouviram isto foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos, até os últimos; ficou só Jesus, e a mulher ali em pé. Então, erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém senão a mulher, perguntou-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? Respondeu ela: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu te condeno; vai-te, e não peques mais. João 8:7-10 

Acusação e condenação não fazem parte do contexto de Jesus. E nisso acredito que se aplica o contexto da conversão, pois no ponto de vista de Jesus não havia ninguém ali que podia condená-la. Ser convertido também é manter a postura da medida de Cristo, e neste contexto é não condenar ninguém, mas orientar sempre.

Úlrico Zwínglio disse certa vez "E, quanto à verdade, não podemos abandoná-la, mesmo que isso implique na perda de nossa vida, pois não vivemos para esta geração, nem para servir aos príncipes, mas para o Senhor". Não podemos deixar de falar a verdade, esta é a orientação que liberta, afinal é a verdade que liberta. Observe que Jesus não deixou de orientar a mulher. Ele mostrou que não aceitava o pecado que ela cometera através da orientação. Jesus disse: “Não Peques Mais”

Porque Ele disse "não peques mais"? Se observarmos Jesus sempre aponta para dois caminhos. Ele é a vida e o pecado é a morte. "Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor." Romanos 6:23. Esta é a diferença crucial entre receber e aceitar. Receber é vir como estas sem a preocupação comportamental de se enquadrar em algum padrão moral. Aceitar é permitir que as pessoas permaneçam como estão. E isso Jesus não fez. Sabe por quê? Porque em Romanos 3:23 diz: "Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; " Todos... O pecado humano é o que destrói o próprio homem. O Pecado reina na morte. Morte é o salário do pecado. Jesus não é apenas o contraponto do pecado, mas a única opção de vida. Conscientizar as pessoas disso faz parte do seu ministério. Viver Nele é a única forma de vida que existe. Não há outro caminho, Ele é o caminho, a verdade e a vida. E para as pessoas viverem a vida do "modo de Deus" precisam abandonar o pecado.

Minha preocupação nos atuais dias é com uma igreja tolerante ao pecado e sem discurso de mudança que gera um conformismo natural. Como cristão, acredito que a Igreja deva ser acessível para todos, sem exceção. Porém, a Igreja precisa ser um instrumento de avivamento na vida dos seus fiéis, na vida da humanidade a fim de orientar a todos a ser como Jesus. Por razões bíblicas, a Igreja precisa ser sempre INTOLERANTE ao pecado, entretanto também deve ser a instituição que orienta como viver sem pecado.  E isto feito do jeito certo é uma demonstração do amor de Deus aos homens.

Não tenho dúvidas que Jesus recebia a todos os pecadores, mas também não tenho dúvidas que a orientação Dele sempre é e será no sentido para que a pessoa não peque mais. Pense: Aquele que sacrifica a própria vida por alguém que está num curso de morte por causa do pecado e transforma este alguém, dando-lhe vida abundante e eterna no presente, sabe o quão mal para os homens o pecado é. E não apenas isso, mas Jesus nos ama tanto e tanto, com um amor sem medida ao ponto de sacrificar-se, tornando aquilo que Ele mais despreza, amavelmente por não querer que a gente se perca. "Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus." 2 Coríntios 5:21

Um exemplo final para ilustrar o que falamos é que Cristo sempre foi acessível aos marginalizados de seu tempo. Biblicamente vemos cobradores de impostos, prostitutas, gentes de todos os tipos. Entretanto isso não significava que Ele concordava com os erros de qualquer que seja a pessoa. Pelo contrário, o seu discurso chegou a ser considerado duro pelos seus discípulos (Leia João 6:60 a 71). O que fica muito evidente pra mim nas escrituras é que o crivo para ser seguidor de Jesus é altíssimo. Ele chama a todos, celebra com todos e depois propõe o “Seu padrão”. Se adéqüe quem quiser. Basta lembrar-se do Jovem Rico, pessoa que era moralmente irrepreensível, um cumpridor da lei. Atente para concepção lógica de que para alguém cumprir algo, precisa antes conhecer "o algo". Ou seja, ele era conhecedor e cumpridor dos Mandamentos. E Judas Iscariotes? Andou três anos e meio com Jesus, conhecendo atentamente de perto. Numa analise simples, muitos acreditava que Judas vinha de uma ramificação do grupo dos zelotes. Zelote vem da palavra zelo. Eram patriotas Judeus que acreditavam que o Reino de Deus era tomado ou defendido a força. Ambos são lembranças para nós de que o critério é alto mesmo.

Que o Senhor possa abrir as nossas mentes e colocar em nós o mesmo "nojo" pelo pecado que Ele tinha. Que Jesus nos ajude sempre.
 
Deus abençoe a todos.

--
Daniel Moreira

2 comentários:

Alexandre disse...

Linda mensagem

Anônimo disse...

Graça e Paz, amados!

Aceitar a Cristo é elemento ativo isto, vem da minha vontade , já de receber a Cristo é elemento passivo, não vem da nossa vontade, e isto bate diretamente quando Jesus afirma que: "Não te admires de eu te haver dito: Necessário vos é nascer de novo."João3:7.
pois nascer de novo não é uma decisão sua depende do alto:" os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus." João 1:13.
Por isso existe tanta confusão neste sentido, pois querem entender e fazer a vontade da carne e do homem,isto é, a minha vontade, mas quando ouvimos a palavra da verdade somos regenerados pela Sua palavra"Disse então Maria.Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra"Lucas 1:38 ,ela gera vida em nossos corações e consequentemente fazemos e recebemos a vontade de Deus Pai.

Graça e Soberania sejam dadas somente ao Senhor!
Continuem abençoados!